domingo, 24 de setembro de 2017

É bom

Como é bom chorar se sentindo feliz ao conversar com alguém!
Como é bom!
O bom dia, o como você está, o está fazendo o que agora,  o quero te ver!
Fico pensando, com um certo receio, que isso pode ser pela distância, que talvez pessoalmente não seja isso. Só que eu nunca tive algo assim, algo tão longe e com uma vontade enorme de ser perto, de querer do lado, de querer fazer carinho até dormir, de me aninhar nos braços.
Eu tou aqui chorando!
Sou muito boba mesmo!

sábado, 23 de setembro de 2017

O medo e o novo

Estou com medo
Medo de gostar de alguém
Medo de pensar em amar alguém
Medo
Mas não mais de mim
Quando achava que o erro era eu
Tou com medo do mundo
De apostar em alguém
De me importar com alguém que não se importe tanto comigo
E eu não posso ter esse medo
E não posso tampouco achar que tudo será sempre conto de fadas
Pode não ser
E se não for eu sei que superarei
Porque eu quero não temer estar com alguém
Mas, e se for?

E tudo isso porque comecei a escrever algo pensando em alguém!
E junto da nova possibilidade veio o medo!
O novo sempre vem!
O novo sempre vem!

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Puta

Puta

Gosto assim
Tu manda
Eu obedeço
Tu faz a imagem
Eu escrevo

Puta

Tu gosta assim?
Pode bater
Eu deixo
Boto a bunda pro alto
E remexo

Puta

Sei que gosta assim!
Teu pau em minha boca
Até o fim
E o jato da tua porra
Escorrendo todo em mim

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Um amor maior que o mundo

-- Você está confortável em ter voltado a falar com ele?
-- Tranquila.
-- Mas não sente mais nada mesmo?

Boa pergunta. Sobre sentir ou não algo.
Não estou apaixonada por ninguém e nesse contexto é natural que ainda me lembre da última paixão. Mas eu não sinto falta de tudo que implicava ela. Foi essa a minha resposta, uma forma reduzida de traduzir meus pensamentos. Amor que vive solitário é fadado a morrer de desgosto. Não perpetua. Não se reproduz. É só, e sendo só é infeliz. Como sentir falta de algo que há muito não era recíproco?
Entende? Parece confuso!
Sentir algo tão dual: o sim e o não. Sentir falta do ser amado idealizado, mas não sentir falta do que na realidade deixou de ser amor.
O desafio da amizade é difícil. Satisfaz, de certa forma, a saudade, mas não deixa de ser também ciúme. Mas vindo de mim isso é natural! Sinto ciúmes de meus amigos quanto mais de alguém que recentemente amei tanto.
Algo mudou. E isso já é grande coisa. Gosto muito de mim para desperdiçar amor com quem não me ama! Aprendi isso!
E sabe, tou aberta a novas paixões!
Quero algo que transborde até me afogar!
Quero amar e ser amada, porque de uma coisa eu tenho certeza: sobre  relacionamento amoroso eu mereço um amor maior que o mundo!

domingo, 17 de setembro de 2017

As paixões estão em falta. E isso é uma pena. Pois até a dor da paixão é mais interessante do que o nada para escrever. Se bem que coloquei para mim que sobre certas dores melhor deixar para trás. Escrever mais do mesmo também não tem graça. Ou talvez seja eu hoje que estou muito sem graça. Que sujeito chato sou eu que não acho nada engraçado!

Sentir falta (texto de Ana Coutinho)

SENTIR FALTA [Ana Coutinho]
Sentir falta, ao contrário do que dizem por aí, é diferente, muitíssimo diferente, de sentir saudades. Ah, sentir saudades... Sentir saudades é grandioso. Dor enorme que rasga por dentro dias seguidos, horas intermináveis, tempo infinito.
Sentir falta não. Sentir falta é pontual. Sentir falta é dor fina, dor de beliscão com unha, dor de anestesia de dentista. Sentir falta é mais específico. Sente-se falta do carinho antes de dormir, da implicância com o controle remoto, sente-se falta do jeito boboca que ele tinha de andar, se balançando todo. Sentir falta é mais egoísta, quase que material. Sentir falta do café dele, da bagunça dele, dos discos dele, do chinelo dele, sempre ali, jogado displicentemente na beira da cama. Sentir falta da camiseta velha dele que você podia usar... Ai, que falta faz essa camiseta... Sentir falta é pequeno, mas não menos doloroso. 
Ou não dói uma unha encravada? Ou não dói um bife que a manicure tira? Ah, dói... e como. Talvez até mais que a dor da saudade. 
A dor da saudade é grande. É infecção generalizada. É uma gripe daquelas, uma dengue hemorrágica, uma pneumonia. A saudade não te deixa respirar. Não te permite trabalhar, te faz faltar o ar. É dor das grandes que te derruba de tal forma que, de repente, por mais que esteja sol, faz um frio de rachar na sua casa e você pode jurar que nunca - nunca - sairá de novo de dentro do seu edredon, porque suas forças acabaram ali, naquele instante, e não há mais nenhum fiapo de vontade, sequer para amarar um tênis. Isso é saudade. 
Saudade não é sempre de uma coisa específica. Pode até ser, mas normalmente saudade é plural. Saudades é dos dois. Saudades é de você mesma, com os olhos brilhando. Saudades do frio na barriga, saudades do começo, saudades da praia, saudades daquela festa ridícula, saudades dos foras que vocês davam juntos, dos preparativos para aquela viagem, saudades daquela viagem e da alegria de estar lá. Da expectativa de ir pra lá, da ansiedade, da enorme felicidade e graça, que só vocês conheceram...
Saudades de coisas efêmeras, saudades de fumaça que não se pega, não se toca e, talvez, nem tenha acontecido de fato. 
Por isso, saudade pode ser inventada - falta não. Saudade é contínua, falta é curta. Saudade é pó, falta é pedra. Saudade é soco no estômago, falta é puxão de cabelo.
Falta é daquilo que não está ali, e que deveria estar. É a dor da cozinha intocada, da luz apagada, do controle remoto só seu. A falta está na rotina, nas pequenas coisas concretas do dia a dia. Ela é pontual, mas pode aparecer todos os dias. E todos os dias você sentirá a dor fina da picada de uma abelha quando notar, por exemplo, que o banheiro está arrumadíssimo e a pia ficou grande para os seus poucos perfumes. Lá está a dor da falta vindo de repente, tal qual um ladrão que te furta a bolsa... Ela vem e, como uma unha encravada, não te impede de trabalhar, de viver, até de se divertir. Mas avisa que está lá, latejando dentro do sapato bonito.
Você pode até ter se curado das saudades, mas, talvez, um dia, quando o chuveiro queimar, você vai sentir uma falta enorme dele, e de todas as soluções simples que ele tinha para problemas tão complexos como esse...
Talvez uma se cure antes da outra, talvez nenhuma das duas tenha cura. Ambas, no entanto, te trazem a sensação da angústia. Ambas acontecem apenas quando o objeto da saudade ou da falta, parece estar ali, na beirada da sua vida. Ambas te fazem esticar o braço com força, com toda a sua força, o máximo que pode, para alcançar aquilo que já não está mais ali, que é sombra, é marca d'água de powerpoint, e é por isso que dói.
Talvez essas duas dores só sumam de fato quando ele sair da beirada. Quando o desenho do rosto dele não for mais tão nítido na sua memória, quando o som da voz dele não for mais tão claro em teus ouvidos. A saudade e a falta, de formas diferentes, com dores distintas, clamam por aquilo que mais se teme. A única solução possível é a mais temida, e serve para as duas: o esquecimento.

(Ps, eu, Iole, sinto tantas faltas e tantas saudades que afogo-me em melancolias)

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Cólica, sono, cansaço, dor de cabeça, desestímulo.
Tá foda. Tá muito foda.
Quero fugir.
Quero desistir.
Quero dormir 48 horas seguidas.

Sobre querer fazer muitas coisas ao mesmo tempo

Estou com muitas dúvidas. Não sei o que fazer. Sei que do jeito que está não tá dando. Eu não tou bem. Eu não tou feliz. E ainda por cima vem a tpm para desgraçar tudo de vez! É muita coisa. Muita. E eu não tou conseguindo dar conta. Não consigo dormir direito. Não consigo concluir nada. Qual o momento de desistir? Do quê desistir? Ou melhor, será que devo desistir? Não sei que decisão tomar. É como se eu esperasse um sinal, mas não vem nenhum! Qual ajuda preciso para saber o que fazer?

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Da certeza à dúvida

A gente não escolhe de quem gostar, mas podemos escolher de quem não gostar. É um caminho difícil, parar de pensar, parar de se importar, parar. Isso é uma decisão sensata. Vai aos poucos, aos poucos, e vai, uma hora vai. Aquela hora que a gente sente falta de algo, mas esse algo não existe mais. Ok. Só precisa ser preenchido. E só precisa ter calma. Quem sabe aparece esse algo que não só preencha, mas que transborde! Enquanto isso fica aquela sensação chata de saber que não existe o quê nem o por quê querer uma lembrança, de saber que não é isso, porque isso nem sequer completa. Acho que às vezes fico confusa com meus próprios sentimentos. É que eles realmente estão confusos. Mas isso é um bom sinal! Pois as ideias já não são mais tão certas e antes eu sofria pela certeza infeliz delas! Da certeza à dúvida. Da dúvida ao nada. Seguimos em rumo.

sábado, 9 de setembro de 2017

Sobre as fotos

Leonina leonina
Vaidosa
Exibida
Mas as fotos estão lindas!
Da delicada à escancarada!
Lindas!
Tenho vontade de sair enviando para todo mundo!!
Ô ilusão!
No final nem tenho a quem mandar...
Vou ficar me admirando só, então.
Até porque, cá entre nós, só me resta concordar com a legenda dada:
"Bucetinha linda"

Das velhas tristezas

"Tenha calma, ainda vai acontecer pra você". Sabe quando vai acontecer para mim? Nunca. E eu já sei disso há tempos, só teimo em não enxergar. Porque querer um relacionamento legal é tão importante para mim? Tenho um filho, tenho trabalho. Nada deveria mais ser importante. E eu sou muito idiota de ainda sonhar com isso.
Tou triste.
Talvez seja tpm.
Talvez seja autoconsciência.
Tou triste. E tudo que escrevo apago. Acho que eu deveria tentar dormir.

Menos eu

Sabe o que é o pior de ser uma pessoa desinteressante? É que todo carinha que eu paquerar vai se interessar por qualquer pessoa que me rodei menos eu! Se interessam por minhas colegas de trabalho e até mesmo por meu amigo que divide ap comigo. Menos por mim. Menos por mim. Sempre menos por mim. Sempre.

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Brilho eterno

O fato d'eu não querer mais nada com uma pessoa não exclue o fato d'eu ainda me sentir magoada. Queria não ser assim. Mas não sei ver lembranças e não me sentir triste com algumas delas! Lembranças de Guaramiranga acabam se associando à lembrança dele dizendo a outras garotas que tinha viajado só. Isso ainda dói. E nem deveria, né? Deveria ser só agradecimento por ter acabado. Tentei apagar fotos, tentei apagar marcações, mas não posso apagar recordações. Brilho eterno de uma mente sem lembranças. Se envolver com alguém é difícil. Como se não houvesse esperança para tal. Nada surge. Nada vai dar certo. Mas gente, que loucura de pensamentos! Cansei de ser triste, só isso! Quero conhecer gente nova, sair, viajar! Quero imaginar que o boy do Rio vai aparecer mesmo por aqui! Quero transbordar!!! E que isso não se transforme em medo! Afinal de contas o que foi pedo ontem poderá ser sal hoje!

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

A amante

Eu atraio homens que estão dentro de relacionamentos. Sempre foi assim. E acho isso um saco. Me magoava o olhar feio das mulheres. Principalmente porque, na maioria das vezes, eu não estava fazendo nada. Sempre vi meu pai traindo minha mãe. Sempre tive medo disso acontecer comigo. E aconteceu, algumas vezes. E dói. Então eu resolvi dar o foda-se e me envolver com quem quisesse. Não me senti mais feliz com isso. Na verdade me sentia mal toda vez que via fotos da família, ou me encontrava com eles. Como pude me transformar no que eu não gostava? E como eu odeio me sentir amante! Não quis mais. Quis fazer tudo correto. Só que o passado rodeia, faz sombras, e nessas sombras habitam monstros. "Parabéns pela vitória no campeonato!" "Obrigado! Vamos comemorar?". Talvez eu nem devesse ter parabenizado. Mas é uma pessoa que quero bem. Gostava tanto do sexo e mais ainda da conversa, sintonia. Isso era real. Mas puxa, ele é o tal babaca escroto com a mulher e eu tava sendo a escrota que não me colocava no lugar dela. Não quero isso. Ia ser muito bom. Ia. Se não fosse toda a carga negativa que carrega. É uma pena.

terça-feira, 29 de agosto de 2017

Um texto sobre quedas e levantadas

Ele ter saido da minha vida foi, com certeza, a melhor coisa que ele poderia ter feito. Sofri? Sim! Chorei pra caralho! Passei um mês sem comer praticamente nada, como um zumbi, levantando e indo trabalhar ligada no automático. Chorava no meio da rua, no ônibus, no banheiro. Chorava e chorava. Sofri ao ver as declarações dele a outra, ao sentir que não me queria mais. Tive crises ao vê-lo. Tudo isso. Tudo. (E nossa, que drama). Mas com tudo isso aprendi muito também! Aprendi a gostar de mim, a me sentir bonita, a ter força para superar! Eu não me sentia mais bonita quando estava com ele! Me sentia feia, gorda, me comparava a cada mulher que ele dava em cima. E à medida que eu ia me sentindo assim exatamente assim eu ia ficando. Mas, sabe, hoje me sinto muito mais um mulherão da porra! Continuo tendo minhas crises, baixa autoestima e tal, mas não mais com tanta frequência e intensidade. Hoje eu sou mais eu e sei que mereço coisas e pessoas que me façam bem! Desde o fim, há cerca de seis meses, ainda não tive nenhum relacionamento muito sério. Ele está no segundo namoro depois de mim. Talvez amar para mim seja algo mais especial, ou então eu romantizo demais, como disse um amigo meu. Mas é que no meu novo eu não há mais espaço para o que não for recíproco!

domingo, 27 de agosto de 2017

Limbo

Quero encontrar alguém para gostar. Não me agrada essa fase de limbo, sem ninguém que me encante. Até estou tentando. Criei coragem, puxei papo com um rapaz, tudo correndo bem e do nada esfriou. Esfriar é um modo muito simpático de dizer. Na verdade congelou! E nossa, eu não sei chegar em ninguém! Quando crio coragem acontece isso. Acho que não sou uma pessoa interessante. Com todo mundo dá certo essas coisas, menos comigo. Ou talvez eu deva começar a gostar de quem se interessa por mim. Pena serem pouquíssimas opções! Queria saber paquerar. Queria ter sex appeal. Queria não ser apenas a menina exótica. Queria ser menos coração. Uma gelada em uma simples conversa e já estou aqui ne sentindo a criatura menos interessante do mundo! Estou estressada, só isso. Muitos problemas. E qualquer coisa pode ser a gota d'água.

Qual a graça?

Sei lá, mas acho tão paia ficar observando e comentando de maneira jocosa pessoas que você nunca viu. Não é tiração de onda com amigos nem nada. É só ser idiota.
Um casal se agarrando aqui próximo e a galera sendo idiota, gritando, rindo. O que vocês têm a ver com isso? Deixa! Deixa o casal se agarrar, deixa a pessoa usar a roupa que quiser, deixa a pessoa cair, deixa, deixa, deixa!
O casal se agarrando é tão tabu a ponto de ter que virar escárnio?? Isso vindo de pessoas que se dizem tão evoluídas sexualmente... Sei, sei.
Acho que sou estranha mesmo.
Mas não tou aqui para escarnecer ninguém. Acho isso muito babaca.
E me sinto uma et no meio de todos.

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

O que fazer quando se tem uma crise de ansiedade na rua? Estou a vinte minutos sentada num banco do IFCE. Coração palpitando, mãos frias e suando, respiração acelerada. Tenho que sair. Tenho que comer algo. Tenho que ir dar aula.

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Próprio amor

Cobrar amor
Comparar amor
Mendigar amor
Armadilha, armadilhas
Nada disso é amor se assim tiver que ser
E que raio de amor é esse que pensa conseguir viver para o outro e tão sozinho?
Sobrevive, sobrevida
Amargurado por não vislumbrar, nem de esguelha, uma chance de se sentir completo
Se vive assim, sozinho, que vire borboleta
Se transforme
Deixe de depender do casulo
Seja então outra coisa
Amor não vive sozinho se pensar que sua calma está no outro
Seja amor
Próprio
Próprio amor
Que assim não precisará colocar-se em plumas coloridas para se fazer notar
Nem tampouco fará dos lençóis abrigos de lágrimas
Será primeiro só
E só assim completo

O passado

Disseram-me, sem porquê e sem nem me conhecer: "O que está no passado ficou no passado. Lembre-se disso".
E eu tenho esse mal mesmo. Fico rememorando o passado. Tipo uma utopia de um sonho lindo, sabe. Aí me encho de 'e ses'. E se ele estivesse vivo. E se ele ainda me amasse. E se eu tivesse tido coragem de me declarar a ela. E se. E se.
Que irreal.
Pensar no 'e se' não traz nada além de angústia, como desejar a fruta do quintal do vizinho. Parece que o que não foi poderia ter sido mais interessante. Mas, será? Será mesmo? Talvez porque as quebras bruscas dos sonhos tragam uma decepção imensa. Mas sabe-se lá se a continuidade desses sonhos iria trazer mesmo plenitude?
O passado é sempre passado e para isso não há jeito. Não há mandinga que o traga de volta com seus ares surreais de eterna felicidade.

Cura-me

Cura-me dessa loucura. Isso não pode ser nem é normal. Cura-me. Tira do peito e da mente o que me tira o juízo. Permita-me o prazer de esquecer. Permita-me desfrutar a felicidade da não lembrança. Para todo mal a cura. Para todo mal há cura.

sábado, 19 de agosto de 2017

Estou um pouco em dúvida se estava rolando algo ontem entre eu e R. Estranho isso! Porque nunca rolou nada entre a gente e sei lá, achei que ontem tava rolando uma conversa a mais, uma pegada na mão, uma encostada de pernas. Deve ser loucura minha! O vinho que fez efeito! Acho que de ambos lados! Inusitado, mas foi divertido!

Puxa, eu já tou triste hoje, não faz eu me sentir pior. Tuê é tudo para mim! Ele triste me faz triste! Não entendo esse forçar a criança a algo. Sei que vem dessa postura militar. Mas você se dizia tão revolucionário com seu cabelo grande e agora raspa a cabeça de uma criança triste! Puxa, onde foi que erramos? Onde deixamos de ser? Parece punição. Pelo quê? Que crime de Tuê merece esse castigo? Ah iole, é só um cabelo! Sim, é sobre pequenas coisas, as pequenas pedras que incomodam. Estou triste, meu filho. Te amo.

Levar um não de um cara que você gosta dói, mas levar um não de um trabalho que você gostaria de ter feito dói muito mais. Ai. Que merda. Tou triste. É como se eu não tivesse sido competente suficiente. Mas fico trabalhando a ideia de que não é isso. Eu fiz um puta teste, tenho certeza disso. Mas outras pessoas também fazem grandes testes e também são excelentes profissionais.  É que um não é um não né. Dói. Mas ai, tira isso de dentro, iole, tira isso! Continua batalhando, a hora só chega para quem não desiste!

Estou triste de não ter passado na seleção. Mas, paciência, é isso mesmo. Sinto-me agradecida em ter ficado entre as consideradas melhores. E segue a regra do rolê. O que não foi sal hoje poderá ser amanhã!

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Retrocesso

O que voltou a acontecer comigo? Parece um retrocesso. Disse a mim mesma que não voltaria a esse ritmo de trabalho em bar e eis que estou aqui, reclamando, cansada. Odeio tentar ter foco financeiro! Queria estar mente sã, corpo são! Mas só tou money, money. Repito o tempo todo que é por pouco tempo, depois chuto de novo o pau da barraca. Dá para aguentar, dá para aguentar. Mas estou muito cansada.

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Eu não quero ir trabalhar. Eu não quero ir trabalhar. Tou de saco cheio de estar num bar quase todas as noites da minha vida. Saco cheio de cliente babaca. Saco cheio das intermináveis investidas do meu chefe. Saco cheio de tudo. Eu não quero ir trabalhar. Eu não quero ir trabalhar.

Não, eu não sou apaixonada por ele. Mas gosto da companhia. Gosto de "quer vir embora comigo?" "tou com fome" "eu faço comida". Gosto desse cuidado! Coisa boa dormir junto e acordar recebendo carinho... É bom, bom mesmo! Só queria ser mais apaixonada. Mas acho que é isso. A paixão estraga. O que salva, nesse caso, é o casual!

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Eu me impregno e desimpregno rápido nos tais crushs. Sou muito impulsiva. Quero que as coisas ocorram na hora em que eu quiser. Impulsiva e egoísta. Um verdadeiro rei na barriga.
Tou chata hoje.
Acho que com pré tpm rs!
Queria peixe na praia sem precisar ir à praia.
Quero conversar com alguém legal.
Quero comer mas não quero me esforçar para tal.
É, tou chata!

sábado, 12 de agosto de 2017

Eu gosto do jeitinho de menino criado por vó dele! Engraçado, nem sei se ele é assim! Só estou desvendando ele. Ou tentando, ao menos!

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Sobre ansiedade

Não sei o que escrever. Estou angustiada. Acordei as oito num sobressalto. Há algo errado. E eu não sei o que é. São dez horas. Minha nuca dói, meu coração parece querer sair do peito. Tudo em mim grita ou reclama. O que está havendo? Sinto-me numa prisão dentro de mim. Mas eu não sei o que é. O que foi. Ou o que poderá ser. Será uma notícia que me faça mal? Será algo arrancado de mim? Será que não é nada? Tudo dói. E eu tou com um medo tremendo.

sábado, 5 de agosto de 2017

Ainda dói e acho que vai doer um tempo. De todas as suas múltiplas garotas ela foi a que deu certo. Dói ser trocada, principalmente de uma pessoa que dizia que me amava, que falava em casamento. E de repente perceber que esse amor não existia, era frágil. Dói. Porque eu amei. Dói ver vocês. Dói ver vocês bem. Dói tudo. Mas é a vida né. O que se há de fazer. Que estejam bem pois eu espero ficar bem também. Tem horas que chego perto, tem horas que me desestruturo. A vida segue. Não sei se vai surgir alguém que me faça bem. Tenho medo. Parece que não tenho sorte com essas coisas. Dói também essa sensação de desistir. E que quando (e se) vier que seja recíproco e verdadeiro, por favor.

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Besteira escrever o que escrevi mais cedo.
Só uma crise.
Um lapso.
Uma falha.
A palavra é forte.
A escrita.
Escrever perpetua o que nem sequer deveria ter sido dito.
Só estou confusa.
Não sei se era aquilo.
Envergonho-me.
Arrancar a folha e jogar fora?
Deixar como prova de quão falha sou?
Que merda de sentimento num vagão de montanha russa.

Como eu te amo e como dói tanto te ver. Dói por te ver bem. É um pouco egoísmo. E um pouco ciúme. E é muita insegurança. Isso é um processo que só cabe a mim melhorar. Dessa vez chocou menos. Uma hora deixa de doer. É quando devo parar de chorar pelo que quero para perceber o que eu preciso. Preciso de um amor recíproco. Preciso esquecer. Preciso não doer. Me sinto meio idiota de adimitir isso. Meus amigos com certeza me condenariam. Mas tem coisas que simplesmente são, né? E tem coisas que somente eu posso mudar. Não posso mudar o mundo, somente a minha percepção dele. Já deu tempo, já é tempo. Quero aprender a ser amizade. E vou lutando para isso. Algo já mudou. Algo já passou. E toda dor uma hora se vai.

sábado, 29 de julho de 2017

Cansada

Muito cansada
Não aguento mais trabalhar
Quero minha cama
Quero dormir
E só
Dormir
Tomar um remédio pra cólica
E dormir
Dar umas baldadas
E dormir
Sem música
Sem gente
Sem barulho
Sem confusão
Só eu
Minha cama
E netflix

terça-feira, 25 de julho de 2017

O mesmo cretino babaca

Acho que você deveria honrar a namorada que tem. Sério. Basta qualquer briguinha pra puxar papo. Um papinho aqui. Um risinho ali. É legal colocar alguém na reserva, né? Tipo, se nada der certo tem aquela lá que já estou mantendo o contato para estar sempre disponível. E ah, a desculpa de só quero amizade não cola. Amizade se conquista no dia a dia e na confiança mútua. O resto, para mim, é só desculpa furada para puxar assunto. Mas sabe o que acontece? Me desencanta mais do que eu já estava. Cheguei a ficar confusa, por causa das aparições, confesso. Mas não! Isso me enoja e só prova o quanto você não mudou nada e continua o mesmo cretino babaca!

Mente vazia

Só me diz como dizer, o que dizer. Não sei falar. Eu, às vezes tão eloquente, encontro-me num vazio. Não quero evocar o que já foi. Não quero me equivocar.

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Seu all star azul combina com o meu preto de cano alto

A menina do all star azul que combinava com o meu preto de cano alto. A menina dos olhos verde azeitonados. Como eu me encantava! Tinha horas que eu ficava olhando para ela e queria muito beijá-la, mas não sabia como. Eu tinha ciúme dos caras que ela ficava! E dos que olhavam para ela também! Bom lembrar, mesmo passados treze anos, da menina do all star azul claro!

É sobre o dia de hoje, e não é para ser racional. Não consigo. Deveria ser. Simples. Não há mais nada e isso é uma enorme certeza. Mas é que hoje, especificamente hoje. Foi algo programado, como se minha mente teimasse em comemorar o dia. Hoje. Nesse horário. Amanhecendo. Limões cortados. Tentativas de se fazer notar. Um beijo não combinado. Uma carona. Uma piada. Na frente ou atrás? A queda de amigos da bicicleta. O corredor da minha casa. Posso colocar Raimundos? E sei lá, tudo isso. Hoje. Que merda é a mente humana. Eu sei que não deveria pensar. Eu sei o mal que passei. Eu sinto que o dia ainda há de piorar. Sei de tudo isso. Então por quê sofrer? É só mais um dia. É duro amar sozinha. É duro ter amado sozinha. É irracional ainda ter raiva de tudo. É irracional ainda chorar por isso. Tantos passados que não voltam. Tantas mentirar que o tempo nunca irá transformar em verdades. Tanta coisa ainda entalada, ainda fazendo mal. Uma hora passa. O tempo tem estágios. E como eles são confusos. Ora ver e não sentir nada. Ora ver e chorar. Que merda de dia. Que merda me incomodar com esse dia! Não é isso! Não devo e não posso! Ainda dói, muito. Mas o que se há de fazer? Cada vez mais amor próprio. Cada vez mais me perceber como uma grande mulher. Cada vez mais me sentir superior. Isso faz bem. Pensa no que faz bem. E pensa no que faz mal, sim, o que faz mal. O ciúme, a mentira, a traição.  Pensa nisso. Pra entender que não deve sofrer. Pra entender que esse dia é tão somente uma ilusão de um sonho que somente eu mesma construí. Por quê me afogar em um amor que nunca existiu?

Seria um ano, seria...

Seria um ano
Seria
E ah, como eu queria
Como feliz eu me sentia
Um ano, quem diria
E eu chorava, e sorria
Em ilusão acreditava
E num sonho vivia
Seria um ano
Seria
E quando eu pensava que nosso amor reluzia
Você, em escárnio, ria
Eu, triste, não sabia
Que mal eu te fazia
Pra você me tratar assim
Com calhorda maestria

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Estranho pensar que eu pensava em você o tempo todo. Na roleta do jogo online que demorava a carregar, nas fotografias de trabalho e família. E eu pensava, e eu me entristecia. Estranho pensar que hoje, passo por tuas fotos e fico sem entender: não sinto nada! Estranho e bom! Bom e velho tempo, cumprindo sempre sua missão!

terça-feira, 18 de julho de 2017

Sabe, desculpa meu sorriso de escárnio.
Desculpa mesmo!
Quem sou eu para rir de você?
Rsrsrs
Me desculpa!
E ah...
Nunca duvide, nem de desejos, nem de bruxas!

sábado, 15 de julho de 2017

Não acordei bem hoje.
Acordei com saudades, desejos. Consciência do que sinto, por mais que não queira sentir.  Me sinto fraca e forte ao mesmo tempo. Mas a vida é isso, né, essa caminhada cheia de obstáculos, alguns previsíveis, outros não. Tem armadilhas que a gente cai, mesmo tendo sido avisados sobre a existência delas.
Não, hoje não é um bom dia.
Acho que tenho que parar de beber, estou bebendo muito. Não está me fazendo bem. Essa sensação no dia seguinte me sufoca. De loucos já bastam meus pensamentos.

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Já fiquei com joelho inchado, cólica, gripe, febre, agora uma, sei lá, dr (?)?
Vai, Iole, o cara quer vir aqui conversar. É melhor pessoalmente para poder compreender tudo melhor.
Tá, confesso, adoro ver o circo pegar fogo!!
Ah, o velho ócio, sempre arranjando algo para se fazer quando não se tem nada para fazer!
Nem que esse algo seja encher o saco de quem merece...
Lá lá lá

domingo, 9 de julho de 2017

A pessoa diz que eu tou impregnando.
Eu dou um "ah tá" pra ele.
Ele passa o show todo me perseguindo.
Qual o problema das pessoas?
Mas devo confessar que achei bastante audacioso na hora em que ele sentou do meu lado e do paraense e se queixou para fumar o beck que a gente tava fumando.
Parabéns, nao precisou nem pendurar uma melancia no pescoço. 
Pior de tudo é que com todas as antenas de alerta de perigo ligadas estou eu aqui pensando nele.

sábado, 8 de julho de 2017

Daí tu bloqueia 'osotro' em tudo quanto é rede social pra num ter contato e o tal vem atrás do teu clã no clash Royale. Macho. No clash royale. Doa carta, assiste tuas partidas. Se respeita mah. Honra tua gata.
Tem gente que viaja muito nas coisas. Entenda.
 Sempre gostei de inspirações, minhas Galas. São boas para sentir e escrever. Às vezes, quando mais complexos, são difíceis de transcrever.
Mas sim, e por fim, só não viaje no que não é! Porque de incompreensível virou cômico!
Ei velho, que dia.
Se veio me testar bato no peito e urro!!
Urro com todas as forças!
Bate no meu escudo e eu sigo rumo!!

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Será que um dia ele vai saber que meu olho ficou lacrimejou de felicidade porque ele me ligou? E que logo depois me achei tola por estar me sentindo assim. É que sentir novamente isso é bom demais! Fica aquele medinho, sabe, de estar me iludindo, talvez eu devesse ser mais fria com o que sinto. Mas é que me sinto tão bem quando converso qualquer besteira que seja com ele...

sábado, 1 de julho de 2017

Eu, quase embriagada, acabou a bebida, tem maconha, escrevo pro lindo, não vou enviar, acho que aposto demais nas coisas, porra desinstalei o Tinder, tem nem como passar o tempo brincando de deus (valeu pela definição, Pinheiro), quero beber, vou fumar maconha, penso em quem não devo sequer lembrar, merda de beber e estar só, aaaaaahhhhhhh!!!

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Eu sou muito besta, fico olhando foto, sorrindo, pensando... Me falam: "Vá com calma", mas eu sou impulso! Viver enquanto existe algo, aproveitar! E, quem sabe em um sonho, me sentir menos insegura, confiar mais! Mas aí há o sorriso encantador e isso fode com tudo...

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Basta eu começar a me envolver com alguém que surge convite das amigas para farrear, boy dando em cima, antigo paquera reaparecendo... É sério isso, produção???

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Calma, calma. Difícil pensar assim. Logo eu, que já me jogo! Mas o problema é que é tão lindo! O presente, o carinho e o cuidado. A besteira de perguntar no barbeiro se eu gostei do que o senhor fez, pois isso é o que importa. O se importar! O me ver chateada com algo e me empoderar! A conversa, o colo, o sexo! Merda, merda, merda! E eu disse que não iria me apaixonar e estou aqui, tremendo de desejo e de medo ao mesmo tempo! Mas é só para dizer que eu gosto (muito) de me aninhar nos seus braços. Que eu também me sinto bem em sua companhia, como voce falou que se sente na minha. E que eu tenho medo de você se afastar porque eu grudo, quero estar perto, e deixo claro isso! Porque me sinto feliz em acordar com um bom dia, mesmo que por whatsapp. E eu disse que não ia me apaixonar. Eu disse isso a mim!! E cá estou eu, boba, querendo que isso seja tudo verdade!

sábado, 17 de junho de 2017

Confusiamentos confusos de confusões confusionadas.
Eu e meus eus.
Tudo e nada.
Todos e um.


quarta-feira, 14 de junho de 2017

Oh lá um problema, massa, vou desviar! Tá vindo, tá chegando, ooopa, e pah, lá vou eu caindo de cara no problema.
De boas, eu tenho problemas.
Hoje acordei com saudades tremendas. Meu peito chega faz reviravoltas. Lembro do meu avô trazendo pastel, ou sonho, ou o acarajé da esquina, eu gostava mais de pastel, de vento, e ele sabia. Lembro de ter lido uma crônica em que contava a história do pai que todo dia levava sonhos para casa, a filha, já enjoada, jogava na privada, mas não contava a ele. E eu sentia isso, sentia que um dia enjoaria do que meu avô trazia, mas eu não diria. Ontem gastei todo dinheiro que tinha na bolsa comprando sushi. Meu filho tinha reclamado na noite anterior que na casa do pai tinham comprado sushi, mas não compraram o que ele gostava. Eu estava meio longe de casa, horário de pico de trânsito, ia pegar um ônibus, pensei em voltar andando ou pegar um ônibus mais adiante, passei por um lugar que vendia sushi, comprei tudo que pude, voltei andando, feliz! Sentia, talvez, o que meu avô sentia, o senti. E acordei com o peito tremendo de saudade...

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Estranho é querer conversar com uma pessoa e não poder mais. Falar uma besteira que seja! Querer contar aquela fofocas, rs! Não falar sobre relacionamento, não é isso. É querer falar sobre algo que só teria sentido falar com quem soubesse do caso, e essa pessoa era a única que sabia. Sensação de fofoca inacabada!

domingo, 4 de junho de 2017

É bom começar a gostar de novo de alguém, eu fico assim, com um sorriso bobo do tamanho do mundo! Sorriso que se mistura com lágrimas, mas são lágrimas boas! E minha ansiedade que não se controla, começo a imaginar nos dois deitados, rindo, conversando, um parque, uma praia... Calma, calma, calma! Não sei onde isso vai dar, ou se, por acaso, vai sair do meu campo imaginário, nada disso sei. Só sei que estou encantada, pela conversa, pela sintonia, pela sincronia!

domingo, 21 de maio de 2017

Resolvo fazer algo nesse domingo de compromissos cancelados. Daí percebo que não tenho nem cinco contatinhos, isso contando os contatinhos de outros estados. Falaram que eu deveria usar o Tinder. Mas não sei, não gosto da ideia. É muito catálogo, menu de restaurante. E não é isso que quero.
“Você viu essa postagem de L? Será que ela falava de P?”
“Não a tenho no face.”
“Te mostrar.”
“Nossa. Será?”
“Não parece.”
Algo sobre odiar ele ir embora, mas adorar a bundinha dele.
E segue-se mais um trecho do circo que escutei outras vezes, de não confiar nela.
Mas não era isso! Isso era apenas um engodo!
Ele comentou a postagem. Ela respondeu. E começou uma conversa entre os dois, uma intimidade impressionante para pessoas que mal se conheciam.
Mas o mais interessante é que quando ele me mostrou o post não havia mais essa conversa. Ela já havia sido apagada.
E eu nem desconfiei de nada.
Segundo a própria L ele era sempre tão afetuoso com ela nos abraços e beijos...
E eu nem desconfiei de nada.
Aplausos para a pessoa mais perspicaz que conheço: eu!
E sim, fui irônica.
Sabe que nem deveria doer tanto, né? Afinal era mais uma entre as outras. Nenhuma novidade.  Dói é querer me afastar e ainda descobrir coisas assim! Dói porque parece que a vida ainda chega e grita ‘tola’ para mim!
Mesmo assim, já que não dá para ter um brilho eterno de uma mente sem lembrança, agradeço, agradeço por, pelo menos, não ter mais a sua companhia.

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Um dia para acordar. Acabou o rivotril. Um dia para pegar essa angústia que insiste em aparecer e ir, com ela ou sem ela, mas ir. Acabou o rivotril. Tenho que pegar esse coração que parece que vai saltar do peito e colocá-lo sentadinho, apreciando a paisagem. Ter que líder com a realidade que me afronta, confronta. Não deve ser em pedaços de um comprimido que eu encontre paz. Mesmo que toda essa soma me faça feliz. Mas, não é assim? Criamos nossos refúgios, nossas curas e permanências, em comprimidos, igrejas, amores. Um eterno ciclo de adoecer e se curar.

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Minhas paixonites e meus platonismos às vezes me cansam. Eu olho fotos, imagino a pessoa, crio situações imaginárias. Tenho que parar de construir castelos onde não existe! Então meu imediatismo diz: “Chama”! Minha timidez desiste. O que dizer? Como falar? Como ser interessante? E se, e se, e ses! Algumas paixonites com mais forças que outras. Algumas pelas quais eu estaria disposta e ficar mais. Quero mais permanências. Quero mais desejos! Quero mais entregas! Quero tudo e pouco sei fazer. A eterna garotinha que Cassia Eller cantava.

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Não seria de bom grado dizer que pensei em ti e enviar uma foto assim, mostrando em meus dedos o tipo de pensamento. Não, não seria de bom grado. Mas talvez, entre nós, soasse apenas como uma provocação para nossos desejos. Beibe, beibe, é tesão, apenas tesão.

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Eu me encanto por você toda vez que você se vai Não pelas vezes que vem, pois são todas elas imprevisíveis Me encanto com seu sorriso que adorna um olhar triste E me sinto bem Um bem estranho, não confessado Um bem que nem sei direito o que é Mas que cabe na eternidade de sua efêmera passagem

sábado, 29 de abril de 2017

Você tá grávida? Segunda pessoa que me pergunta isso essa semana! Mas não, não estou. Ah, sei lá. Menstruação pouca, cólica, enjôo. Tem como não, mulher. Bem, com meu filho eu menstruei até o quarto mês. Relaxe, não tou sentindo outras características de gravidez! Pois é... #NeurosesEParanoias

domingo, 23 de abril de 2017

Se for para fazer joguinho então não venha. Sai recentemente de um relacionamento onde eu gostava pra caralho, onde eu amava, que eu queria ficar por uma eternidade junta, que eu pensava em ter outro filho (e nos meus sonhos era uma menina), um relacionamento onde somente eu acreditei que era um noivado. Ninguém acreditava. Todos sabiam. Só eu achava que era de verdade. E isso dói. Então, se for para jogar, eu não tou dentro, eu não quero. Não quero seu elogio em um dia para no dia seguinte nem me notar. Não quero um beijo de canto de boca para depois virar um talvez, um não, um quem sabe. Eu não mereço isso. Quero coisas legais, quero certezas, nem que a certeza seja só sexo, mas certezas. Não preciso de mais imprecisões, não preciso de mais nada que seja confuso. Quero ficar bem, só isso. Sozinha, com alguém, com todos. Mas bem.

sábado, 22 de abril de 2017

TPM é uma coisinha muito chata. Do nada começo a chorar coisas de oito anos atrás. É que parece que vou revivendo tristezas, negações. Tpm deve ativar alguma área do cérebro referente à baixa auto-estima e às lembranças desagradáveis. O meu relacionamento com o pai do meu filho estava uma merda. A gente já não conversava, não se entendia mais. Depois de anos fui perceber isso, mas na época não, eu ainda acreditava que as coisas poderiam melhorar. Então um dia, estava eu sentada na cozinha, quando ele vem do quarto e a gente começava a conversar amigavelmente. No meio da conversa ele diz que tinha comprado uma aliança para me dar. Na hora pensei em tanta coisa boa, que as coisas iam se ajeitar, que eu ia usar uma aliança, é besteira, eu sei! Mas ia significar algo, não sei, eu só tava feliz! Então ele olhou para mim, riu e falou algo assim: "Só que eu joguei fora. Não ia valer a pena. Você achou mesmo que eu ia te dar uma aliança?". Então ele riu novamente, virou-se e saiu de casa. Escrever faz bem por causa disso, escrever atuar, colocar nossas mágoas pra fora, que assim elas viram histórias, e só.

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Eu quero te conhecer melhor, em cada etapa, sorrisos, boca e pele. Quero te conhecer melhor, em corpo, em mente. Quero te esmiuçar, quero me envolver, me entrelaçar. Quero agarrar grudado e não desgrudar se o que for real seja tão ou mais prazeroso quanto é o imaterial. Deixa eu te conhecer! Porque um beijo de canto de boca me fez desejar, também, toda sua completude!

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Não gosto de ter que ficar puxando assunto, dando em cima. Ah, Iole, ele é tímido. Ele é tímido e eu sou sem paciência! Gosto de homem que chega. Homem e mulher! Tipo S. S. foi um dos melhores envolvimentos sexuais que já tive! Quando ela me puxou para dentro do banheiro, nossa!! Tá para nascer homem para fazer o que ela fez com tanta maestria! Se eu não estivesse no trabalho talvez até me empolgasse com a lembrança!

segunda-feira, 17 de abril de 2017

-- Prometo não te tentar com uma caipirinha sequer -- Caipirinha é golpe baixo rsrs -- Então acho que estou começando a acertar que golpes dar! -- Hahahahaha Tá indo no rumo certo!
Ando ansiosa, e é um monte de coisa, e não é nada ao mesmo tempo, tudo e nada. Trabalho, faculdade, testes, emocional. Tudo. E nada. Meu corpo treme, minha mão sua, meu coração dispara a toda hora. Definitivamente, ansiedade não faz bem, parece que o mundo vai explodir e cair em minha cabeça. Ô crise chata! Minha procrastinação não condiz com meu desejo de imediatismo. Quero tudo e nada. Sinto tudo e nada. Estou me afogando no tudo e no nada.

domingo, 16 de abril de 2017

São mais de dezenove horas. Será que ele vem hoje? Fico me perguntando, ansiosa. Gosto do seu sorriso! Quero conversar com ele, conhecê-lo mais. Vem, por favor, vem. Sinto os sintomas: meu coração acelera. Parece que o tempo não passa. Só para vê-lo. Se ele vier.
-- Você é a bartender mais bonita que esse Rota já teve. -- Oi? -- Você é a bartender mais bonita que esse Rota já teve! Cantada assim, para quem trabalha na noite, é até comum. Falam isso pra todas. Mas vinda dele... Vinda dele! -- Amigo, o que você acha de P.? -- Por quê? (Risinho) -- Não sei, mas acho que a gente tá se paquerando tem uns dias... Ele sempre pega em minha mão. Ele sempre me abraça quando vai embora. Vontade de conversar mais com ele! -- Só tenho coisas boas a dizer. É um cara na dele, homem sabe, não é menino não! -- Ele me falou que é meio nerd! -- Acho que ele é muito bonzinho. Algumas mulheres não gostam. Mas ele gosta dessas coisas de grude... Ele me contou que é ciumento, mas não diga que eu te disse isso não! Paquerinha boa para adoçar a vida! 💜

sábado, 15 de abril de 2017

Acho que o lance é esse, né? Deixar ir que a dor se vai! "Deixa que o meu samba Sabe tudo sem você Não acredito que o meu samba Só dependa de você A dor é minha em mim doeu A culpa é sua o samba é meu Então não vamos mais brigar Saudade fez um samba em seu lugar (benzinho) Saudade fez um samba em seu lugar"

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Eu falo em me permitir e estou aqui sem saber se devo ir ou não. Se devo ir ao encontro de um antigo algo que tive. Ele me chamou. E eu tou com medo de voltar a gostar. "Tenho um solto verdin, como você gosta. E umas heinekes, se você quiser. Vem cuidar de mim...". Eu vou, eu vou! Não dá para ser feliz se trancando num quarto escuro!
Isso não é para ser um blog interessante. Isso só é meu diário, que nem tantos outros diários que tive na infância e na adolescência. Escrever é mais fácil, sinto menos vergonha dos meus sentimentos. Ultimamente quero escrever qualquer coisa que me venha à cabeça. E isso me dá um certo receio. Receio de meu ex, que tem sido meu assunto mais recorrente, veja isso. Ao passo que acho que ele não vê. Não é interessante. Ele não costuma ler blogs. Ele não tá nem aí pra mim. E essa parte é tão incômoda. Quanto tempo leva para superar uma distância? Queria não ter gostado tanto, queria na semana seguinte estar com alguém. Mas eu não consegui, eu não consigo. Li que escrever o que de ruim tinha em continuar junto e o que tem de bom em estar só me ajudaria a superar. Todos os dias eu penso que ele já está com alguém, está apaixonado, está amando. Todos os dias eu penso que essa pessoa não sou eu. E isso já deveria, por si só, ser motivo para eu desencantar. Qual o meu problema para ficar me torturando à toa? Sempre soube me retirar quando sei que perdi algo ou não sou bem-vinda, mas isso não quer dizer que não doa. Dói saber que não sou mais seu amor. Dói saber que não dormirei contigo ao meu lado, dói saber que não cuidarei mais de você, dói tudo. Mas puxa, Iole, você não pode ficar assim para sempre. Tem que pensar como é legal quando sai e se sente paquerada. Tenho que pensar que o novo vai vir. Correr atrás de me relacionar com alguém só por se relacionar não vai dar em nada. Eu nunca me dei bem com essas coisas de amor. Acho que por isso que eu havia me trancado. Quando me abri ao meu amor tudo pareceu tão mágico, tão espetacular. Amar alguém, se sentir amada! E então tudo se quebrou. Uma sensação de ter amado só. De sofrer só. De se estar só. Ele não te ama, Iole. Ele não te quis. Só isso deveria bastar. Não guarde seu amor para quem não te quer. Supera, supera. Estou sem vontade de sair, achando tudo muito chato. Mas se eu ficar trancada, só, vai apenas piorar. Ninguém sai da tristeza se se permitir a ficar apenas nela.
Nos meus silêncios, tão loucos, tão sãos. Silêncios de corpo, de alma. Nos silêncios que me encontro, como se o mundo estivesse paralisado, e eu aqui, calada em meu quarto. Todos dormem. Como se meu estado fosse além do campo físico. Estou perdida nele. Estou encontrada nele. Uma fuga, por um momento que seja, do que seria real. Um lugar onde eu possa me pedir calma. Nas ansiosas ânsias, ansiedades. Vai caminhando, apenas, e aproveita o passeio. Ninguém passa pelo mesmo caminho mais de uma vez.

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Tudo o que eu queria era não chorar mais. Porque tá tudo indo bem, quase bem e de repente pah, cai de novo. Que inferno de ficar sendo jogada na boca do furacão. Eu quero ficar longe de tudo. A gente tem que saber reconhecer e se reconhecer com os términos, de tudo, com as negações. Daí eu tou lá, no caminho, e de repente passa uma carreta descontrolada, um cachorro pincher a latir desesperadamente. E pronto, a nossa pequena caminhada tem que se refazer. Oura, por quê mais bolas eu quereria ficar pensando nele 24 horas por dia? Superem, superem. Vocês já estão separados há 9, 10 meses, já deu tempo. Só me tirem dessa. Enquanto uns dão uma boiada para entrar na briga, eu dou todos os meus bois para sair dela.

quarta-feira, 12 de abril de 2017

100ôr, onde eu amarrei meu jegue? É sério? Séria cômico se não fosse trágico! Porque aguentar raivinha de ex de ex eu não mereço! Guria doida, na moral! Me agredindo, falando um monte de merda. Quase, quaaaase eu perco a cabeça. Comecei a bater boca em post porra, ninguém merece. Mas, recobrei a consciência! Se não vale a pena ficar brigando por picuinha de ex, imagine de ex de ex!! Como disse um amigo, eles realmente deviam ser um casal perfeito, porque haja tanta picuinha!!

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Deixar de gostar de alguém e gostar de alguém são processos, né? Construção. Sentir tesão, ter uma certa paixonite é mais fácil, de tão fácil é fulgás e composto de opções objetivas. Amar é subjetivo. Ontem fiquei feliz de conversar com um rapaz, de achar que poderíamos estar nos paquerando, de querer aquele abraço de despedida! Vim para casa rindo! É um bom sinal, as coisas vão dar certo, eu comecei a superar o fim! É aquela fase em que escutamos o que a pessoa gosta e nos identificamos, ou não! Faz o quê? Gosta do quê? Mora com quem? Não vai pegar uma caipirinha hoje? É bom! Sempre gostei dessa fase da paquera, o descobrir o outro! Bom voltar a se sentir atraente! Acho que estou meio ansiosa para voltar a gostar de alguém. É esse clima chuvoso que não contribui, fico aqui querendo um companheiro para chamar de meu, para fazer sexo e carinho, para amar. Eu quero amar! Quero me sentir amada! Quero beijos e abraços apaixonados! Quero acordar e preparar um café para nós dois! Ah, a breguice das paixões... Sei lá, só me senti feliz por ter me interessado por alguém. Mesmo que não seja nada ainda, nem gostar mesmo, só se interessar, querer saber mais. "A viagem de mil milhas começa com um passo."

domingo, 9 de abril de 2017

Andava querendo ir prum rock. Descobri que hoje haveria um. De imediato me empolguei, pensei em tomar banho e me arrumar. Mas aí veio o receio de me encontrar com ele por lá. E se eu o visse? E se ele estivesse acompanhado? O que eu sentiria? Se estivesse indo em grupo, menos mal, mas eu ia só. Desisti. Que coisa chata, me policiar por medo. É tudo muito recente, né? Um dia não me incomodarei mais. Mas por enquanto melhor fumar um e ficar deitada, na segurança do meu quarto.

sábado, 8 de abril de 2017

Lembro de, há uns quinze anos atrás, um rapaz me falar que a vida é feita de círculos. Horas no topo, horas no fundo. Que a descida é rápida e a subida lenta. Por isso percebemos mais um que outro. Mas é cíclica! Vai e vem! E são muitos ciclos, na verdade, de tamanhas formas, velocidades! É bom perceber onde estamos nessa engrenagem. Perbecer e aceitar a condição. A minha tatuagem diz que viver é um risco que dá prazer. Quem vê acha que sou esse otimismo vivo! Risos! Mas quem me conhece sabe que não sou assim. Olhei pra a tatuagem dia desses e me vi, com 22 anos! Me vi pensando que essa frase seria meu porto, que a única certeza é a morte, que não se sabe o que há, ou se há, algo além, que nada é único pois precisa do seu duplo/oposto para existir, o bem, o mal, tudo parte de todo. Se a vida é desprazer é também prazer! Tem dias que a gente chora sem parar, tem dias que queremos gritar de felicidade! Ainda bem!! Ainda bem!!! Entusiasta? Sendo sim! Comemorando cada degrau! Ainda com medos e dúvidas, mas subindo, né?! Subindo!

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Canção a um amor inexistente

Eu te amo porque quero conversar por horas a fio. Eu te amo porque gosto do teu corpo pesando em mim. Eu te amo porque quando você está dentro de mim me sinto uma pessoa mais completa. Eu te amo porque quando te vejo te acho a pessoa mais linda do mundo. Eu te amo porque eu não sei dizer, não haveria razão para tal. Eu te amo porque não sei como não te amar. Eu te amo porque te idealizo, porque te quero perfeito. Eu te amo porque sinto saudade da tua voz. Eu te amo porque sinto que parte de mim vai embora porque você se vai. Eu te amo porque é irreal. Eu te amo, mesmo não tendo o por quê de te amar.

terça-feira, 4 de abril de 2017

Cuidado menina, para não amar só. Cuidado menina, para quando estiver frágil não deixar o mal chegar perto. Cuidado menina. A vida não é rosa, algumas pessoas são cruéis, maquiavélicas. Elas mentem e riem, menina, se você deixar que a energia ruim se reaproxime. Cuidado menina. Quem disse ainda hoje que te ama, às vezes só quer te comer. Aumentar o ego. Cuidado para isso não te machucar. É aí que você vê, menina, que o mal dorme ao lado, literalmente. Todo cuidado é pouco. É preciso estar atenta e forte. É preciso ser feliz quando esse mal vai embora. Livre. Cuidado, menina.
Algo em mim sabia que assim que cruzasse a porta ele não voltaria mais. Seu olhar sério, suas dúvidas. Ainda estou com seu nome escrito em mim, de caneta, quase apagado. Acho que você sabia disso quando escreveu. Você saiu, levou suas coisas, esqueceu uma bermuda e a bicicleta. Não tarde a pegar. Por favor. Vai ser difícil te esquecer com suas coisas aqui. Prometo tentar não olhar mais...
Sabe, apesar de eu achar que a resposta dele, para mim, vai ser um não, fico aqui me remoendo com meu resto de esperança. Dói tudo. Acho que vou precisar de um remédio para dormir. As baldadas não estão fazendo efeito.

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Estou nervosa, tremendo, coração parece que vai escapar pela boca, barriga dói. Meu pessimismo diz que nada vai dar certo. Que medo.

sábado, 1 de abril de 2017

Daí minha menstruação resolve tirar uma com minha cara. Veio, normal, sem atrasos, bem fraquinha, ok, no segundo dia ela não aparece, nem no terceiro... Pronto! Eu, neurótica, já olhando sites, achando que seria uma triste ironia se dessa vez fosse! Mas eis que no quarto dia ela ressurge das trevas para me atormentar. Se ela viesse só incomodaria menos, mas a infeliz só vem acompanhada da cólica! Bem, não foi dessa vez! \o/ \o/ E quanto ao tal, bem, hoje já acordei menos triste, e isso é muito bom!!

sexta-feira, 31 de março de 2017

Sabe o que também dói? Saber que ele não está nem aí. Está de boassa, como me disseram. E eu fico me perguntando como fui tão burra esse tempo todo. Ele nunca gostou de mim de verdade, cada vez mais percebo isso. Se não gostava por quê me pediu em namoro, em noivado, em casamento? Dizia que queria filhos, que queria vir morar comigo. Por quê ser tão cruel assim? E você segue sua vida, sem remorsos, sem sentimento, rindo de babacas que nem eu. Você deve ter achado muito engraçado quando eu chorava de felicidade por achar que era amada! Eu só quero que essa dor passe. Não quero mais chorar por você. Quero te esquecer completamente. Mas me dou ao direito de estar triste. Não tenho que perdoar, não tenho que aceitar ser tua amiga. Não tenho. Posso e devo estar triste, afinal eu te amava. Como é difícil para mim dizer te amo, e eu te disse. E você só queria brincar comigo, olha, a idiota, dizendo que me ama e achando que eu a amo. Eu tou com muita raiva. Eu quero que essa raiva passe, vire desprezo. Não quero ficar triste, chorando, por um ser desprezível que nem você. Por favor, tempo, me cura.

quarta-feira, 29 de março de 2017

Um dia os rancores passam e deixam de doer. Sei que esse dia vai chegar e eu estou com todas as portas abertas esperando por ele. Mentira, só estão entreabertas, mas um dia estarão escancaradas. Me deparei com uma foto dela entre os prints que apaguei. Tenho raiva, ódio, nojo. Dela, sim, dela, pois a ela me comparei e acabei me diminuindo. Por quê ela? O que ela tem assim de tão especial? E essa comparação que é infeliz, ficar me colocando pra trás por uma doidinha qualquer. Resta só engolir a humilhação, engolir o sentimento ruim, ou então vomitar tudo, tudo que tá guardado e me faz um mal danado. Ele, um mentiroso, ela uma sonsa. Se combinam perfeitamente. Nojo. Cara, quando isso vai passar? Não quero olhar para uma merda de um print e chorar de novo. Não quero me sentir a idiota enganada por tanto tempo como fui. Só queria que passasse mais rápido. Mas, confesso, ainda não superei.
Eu preciso escrever. Sobr qualquer coisa. Só escrever. Todo rompimento é triste. Radical, de uma vez, ou comedido, aos poucos. Mas uma hora ele chega. O fim. É cono se minha emoção gritasse não saber e a razão chegasse e disse: "miga, sua louca, só pára"! É o fim, só isso. Com suas dores e suas certezas.

segunda-feira, 27 de março de 2017

Eu ainda penso nele pelas manhãs, quando acordo. Mas cada dia penso menos. Um dia não pensarei. Eu ainda olhava as coisas dele pela internet, tinha parado de seguir, mas batia uma saudade e eu corria para vê-lo, afinal foi a pessoa que mais conversei nos últimos oito meses. Então me deparei com uma grosseria dele e com uma leve bloqueada para que eu não veja mais as coisas. Não entendi o por quê, sério, mas foi até bom. Eu não vendo esqueço mais rápido. Porque não estava adiantando só me lembrar das merdas que ele fez e disse se eu corria para vê-lo virtualmente ao mínimo sinal da sua falta. Por quê tanto ódio de mim? Quem teria todas as razões do mundo para ter raiva sou eu! Eu só fui amor, até no meu desespero. "Ex my love, ex my love, se eu botar teu amor na esquina ele nem vai valer 1,99"!

domingo, 26 de março de 2017

Estou me sentido só. Tem dias que estar só é legal, dias que eu quero sair, tomar uma cervejinha, ir prima balada, si lá, qualquer coisa, tem dias que é assim! Mas hoje não, hoje eu queria a companhia do meu filho, ele não está aqui e eu tou me sentindo só. Saudades. Domingo chato.

sexta-feira, 24 de março de 2017

Procura-se companhia divertida para sexo casual! Não, não Procura-se companhia casual para sexo divertido! Difícil reencontrar velhos contatos, estranho ter que fazer outros. Quero sexo, isso é fato, mas não quero sexo por sexo, isso é sem graça. É uma parte bem ruim de se estar solteira. Daqui a pouco recorrerei aos xxx! Bem, não que eu não recorrece a eles estando comprometida. Às vezes é necessário. Mas não é isso. É pau, é pedra! Contatinhos, cadê vocês?

quarta-feira, 22 de março de 2017

Parece que nada de bom acontece comigo pois escrevo apenas coisas tristes aqui. Mas não, não é verdade, coisas boas acontecem! Só que escrever aqui é como se eu conseguisse trabalhar meus problemas, uma psicoterapia. Por isso tem coisas tristes aqui. Quando leio postagens antigas vejo coisas mais divertidas. Acho que estou ficando cada vez mais ranzinza! Mas como ser divertida? Saio para anuviar as idéias, encontro um antigo crush e puxo o pior dos assuntos! Pareço o irmão do Jorel se declarando para a Catarina (é esse o nome?)! Encontro aquele antigo crush, que fui apaixonada durante cerca de um ano, mas que me dispensou com um mês de ficada, pois sim, encontro ele, mais magro, digo "está mais magro" ele feliz diz que sim e eu "ah, gostava de você gordinho". Porra Iole. Sou meio desajeitada mesmo com essas coisas. Não levo jeito pra paquerar, nunca sei o que dizer. E também estou morrendo de medo de me envolver, parece que não tenho sorte pra essas coisas! Tou com um pouco de receio de acreditar nas pessoas, como se todos que chegassem em mim fossem de novo me enganar. Mas calma! Acabei de sair de algo que eu achava que era verdadeiro! Pedido de namoro, de noivado, falso como uma nota de três reais! Mas pelo menos serviu para que eu fique mais esperta e acredite menos em qualquer doidinho que aparecer. Ainda lembro dele, queria que fosse real o que eu achava que era, e quando a saudade teima em aparecer faço-me lembrar de como ele me tratou, me humilhou, escarneceu, manipulou e mentiu, então repito bem forte que não se deve chorar por quem não merece. Quem perdeu foi ele! Talvez ele nem sofra por isso. Acho até que não esteja sofrendo mesmo. Ficou claro que eu não era especial para ele. Então engole o sentimento ruim e acredita no próprio potencial! Uma hora o amor dá certo, mesmo que seja o amor pela solidão!

terça-feira, 21 de março de 2017

Ninguém gosta de se sentir enganado. A gente se sente burro, sabe, fica se perguntando como pôde ter acreditado em algo que não era verdadeiro! Eu acreditei. Eu chorei de felicidade (de felicidade!) quando fizemos seis meses junto! Chorei, aqui em minha cama, até soluçar! Ao passo que sinto-me muito triste fico aliviada de ter me livrado de algo danoso. Alguém que ri de você, de sua atitude desesperada de estar com ela, que diz que te ama e quer casar mas que procura por qualquer outra que seja assim que você dorme. Quão frágil é o amor de alguém se a procura é até por uma desconhecida? Sinto vergonha de ter namorado ele. Vergonha de ter sido feita de idiota, vergonha de ter sido motivo de escárnio. Nunca te obriguei a estar comigo, por quê você foi tão cruel? Que mal te fiz para isso? Eu sou muito tola mesmo! Mas também me sinto superior. Bipolaridade de sentimentos! Sou meio louca mesmo, mas quem não é? Às vezes quero desistir de estar com alguém pro resto da vida, mas eu não posso deixar de acreditar no amor por causa dos erros que foram alguns relacionamentos meus! Você foi um grande erro meu, você me fez chorar por um amor que não existia de verdade. Leva um tempo para aceitar a humilhação. Mas sei que essa merda toda só vai me fazer mais forte.

quinta-feira, 9 de março de 2017

E quando não tivermos mais o que conversar? E quando não soubermos mais o que dizer? Será que nos pegaremos dizendo frases prontas dessas que se diz a alguém quando quer puxar assunto? Como você está? Como foi a aula? Fez o que ontem? Será que esse é o nosso destino?
O levantar é tão difícil. Tenho uma reunião daqui a 15 minutos, estou acordada há uma hora e meia, mas não consigo levantar da cama. Queria passar o dia assim, deitada, como ontem. Ontem meu dia e noite se resumiram em tomar remédio, dormir, acordar, tomar outro remédio, voltar a dormir. Acho que um banho frio ajuda. Mas não quero me levantar. Muita gente se tranca, eu tenho tentado escrever, já me ajudou antes. Doem as costas, a cabeça, a barriga, tudo, tudo me empurra no colchão. Eu não quero ir. Eu tenho que ir.

quarta-feira, 8 de março de 2017

Deveria ter uma forma fácil de morrer. Estou há 15 minutos sentada na cama sem coragem de tomar um bolo de remédios. Nem para isso eu sirvo. Nem para isso tenho coragem. Sou uma inútil até para morrer.
Me desculpa. Eu tou com muito medo. Eu não aguento mais ser essa inútil. Eu não aguento mais só fazer merda. Eu não aguento mais não fazer nada certo. Me desculpa. Tuê, eu te amo muito. Você é lindo. Mãe, pai, desculpa.
Meu filho, me desculpa se eu não aguentar. Você é a coisa mais linda que eu já vi na vida. Você é a única coisa que eu fiz certo na vida. Te amo, muito. Me desculpa. Tá doendo muito e eu tou cansada de ser essa porcaria inútil que sou. Eu te amo Tuê. Te amo. Saiba que você não tem culpa de nada. Nem nunca vai ter. Só eu sou a culpada. Só eu. Te amo muito. Me desculpa.

terça-feira, 7 de março de 2017

Se sentir a pessoa mais feia do mundo. Descuidada. Desarrumada. Ele entrou por aquela porta e era isso que eu pensei. Feia. Não sei mais se ele gosta de mim. Não sei quanto mais. Eu não me sinto mais interessante. Talvez você não me sinta mais atraente. Eu começo a me comparar. E ter raiva de mim. Eu já fiz isso. Que merda. Parece castigo. Eu quero ser feliz de novo. É falta de grana, é tudo quebrando, é tudo, é ele, sou eu. Passa, por favor. Vai embora tempo ruim. Tou cansada. Mas Não Vou Desistir.

domingo, 5 de março de 2017

O discurso é mais bonito do que a prática. Eu deveria ter mais tesão. (Procurando no google como voltar a ter tesão). Mas eu tou cada vez menos com vontade. Mas quero voltar a ter. Eu gostava quando a gente era sexo e chamego. Mas eu ainda fico pensando em um monte de coisa que não deveria pensar e não sei mais se acredito nas coisas que ele me diz. Eu não gosto de transar de lado, hoje fiquei feliz que foi assim. Acho que minha cara deveria estar broxante, espero que ele não tenha percebido. Não deveria ser assim. Espero que seja só uma fase de adaptação. Mas ele também fala merda, não deveria falar, deveria ficar calado para algumas coisas, mas ele me subestima e eu odeio ser subestimada. Não penso em mais ninguém. Não quero mais ninguém. Você está viajando. E eu só vejo e escuto mentiras. Fico, então, pensando que outras coisas podem ser mentira também, e é isso que detona tudo.

sábado, 4 de março de 2017

Parte de mim acha que o problema sou eu, que eu nunca serei uma pessoa interessante de fato. Parte de mim acha que eu não deveria me preocupar tanto com o que ele faz. Eu também acho pessoas interessantes, só que eu respeito o relacionamento que estou. Tudo é questão de respeito. Qual a graça respeitar e não ser respeitado? Mas aí o problema não é meu, diriam. O importante e você ser uma pessoa íntegra, diriam. Eu gosto de ser íntegra, mas não gosto de me sentir inferior. Se sentir desinteressante é muito chato, e é como estou me sentindo. Não quero, novamente, me abraçar com a depressão, mas estou com medo. Eu amo pensar que isso é só ilusão, que meu relacionamento é lindo e que ele me respeita. Mas eu sei que não é assim. E não vai ser. Não existe mais confiança e quando ela se quebra é tão difícil de colar novamente. Gosto de tantas coisas nele que fico em dúvida se vale a pena ou não. Só queria que ele fosse honesto.
Juro que estou tentando desvencilhar amor de fidelidade, mas não é tão fácil assim. Quando eu era criança via minha mãe sofrendo com as traições do meu pai e eu dizia que nunca ia me casar, que não ia aceitar homem fazendo isso comigo. E olha só eu aqui me desdizendo! O que complica é a mentira, a deslealdade. Se as cartas estivessem na mesa, sabe, mas não, é escondido, velado. Se fosse eu marcando esquemas, dando em cima era 'nossa, você traiu minha confiança, nossa que escrota'. Quem procura acha, as não me sinto errada de procurar. Falta de confiança mina um relacionamento.

sexta-feira, 3 de março de 2017

Dor de cabeça, cólica e a decisão de deixá-lo ir. Eu gosto dele. Não é esse o problema. O problema é saber que ele quer ficar com outras garotas. Eu poderia ter crises, dar escândalos, mas isso não impediria ele de ficar com outras. Então pronto, o liberei. Não é fácil. Parte de mim está gritando aqui dentro, querendo ele de volta, querendo prendê-lo. Parte de mim me chama de burra por deixar ele ir. Parte de mim morre de medo dele não voltar. Mas talvez só assim eu me sinta melhor. Não sei se isso é possível. O ciúme é uma coisa louca, a gente quer que o companheiro seja só da gente, só queira a gente, mas as coisas não são assim. Eu não tenho capacidade de trair, me sentiria uma pessoa muito má fazendo isso. Mas sei que ele não teria esse escrúpulo. Então por quê ficar com ele? Porque eu gosto dele, da sua companhia, do seu companheirismo. Só queria que ele fosse sincero, admitisse que paquera outras. Me sinto burra por ele fazer as coisas pelas costas. Não sei se essa decisão de deixá-lo ir é a melhor. Talvez não seja. Mas pelo menos é como se eu sentisse que liberei as puladas de cerca, e isso me faz sentir um pouco menos otária. Só que aqui dentro está tudo gritando, rasgando! Merda de decisão difícil! Muito mais fácil na teoria! Tenho medo dele não querer mais voltar. Mas as coisas andam estranhas mesmo. Até o sexo está diferente. Ele já nem goza mais comigo. E isso faz com que eu me sinta muito mal. Acho que a qualquer momento ele vai se arrepender de ter me pedido em noivado e vai ver que é melhor ser apenas amigo. Quem sabe se ele finalmente ficar com as meninas que ele tanto marca e quer algo mude. Medo de que mude para uma não vontade de estar mais comigo. Mas, enfim, a decisão já foi tomada e a bola já foi jogada na roleta. Espero, angustiada, saber em que número vai parar.
Ele mente. E a mentira quebra em pequenos cacos aquele bonito vitral. Pequenos vidros coloridos. Lindos. Machucam. Ele apaga conversas. Ele diz que estava dormindo, mas não estava. Então, para mim, há sempre a possibilidade de ser mais uma mentira. Mesmo quando não for. Às vezes há alguns sinais. Curtidas, micro conversas, que podem não ser nada, mas a desconfiança já está lá, plantada. Coincidências? Mesmo? Mas tantas...!

sábado, 4 de fevereiro de 2017

O que há comigo que tudo que faço dá errado? Não sou má funcionária, mas mesmo assim ninguém me chama mais para trabalhar. Sou gente boa, hospedo as pessoas em minha casa e nem água são capazes de comprar. Acho que tenho um OTÁRIA bem grande escrito na testa, que é isso que sou: otária, mil vezes otária. Eu me odeio.

sábado, 28 de janeiro de 2017

Seria muito mais fácil se ao invés de um botão bloquear existisse o botão esquecer. Não paro de pensar nele, não paro de chorar. Não quero ver, ver só vai me magoar ainda mais. Tenho vontade de ligar, de dizer que amo. Tenho vontade de estar para sempre junto. Mas não vai ser isso. Estou desde cedo me perguntando o que houve. Um dia bem, no outro o fim. Tenho compromissos e a única coisa que eu quero é ficar em meu quarto chorando. Coloca uma máscara e sai de casa. É o melhor a fazer. Ficar me perguntando por quê ele terminou comigo não vai me levar a nada. E eu ontem só queri vê-lo. Só queria sair do trabalho, passar na casa dele e ficar com ele, só isso. Mas ele não estava online, desconfio até que não estava em casa. Não ia ser a primeira vez que ele dizia estar se sentindo mal para poder sair sem mim. E eu queria estar com ele. Estava me sentindo mal, mal pelo meu ciúme exagerado, mal por ter olhado coisas dele que não deveria ter olhado. Me sentia mal e envergonhada, com muito medo de que ele ficasse muito chateado comigo. Eu poderia simplesmente fingir que nada aconteceu e mentir, como todos fazem. Mas não, queria ser sincera, queria me entregar de verdade. Palmas para mim. Burra.
Eis o fim. Todo fim pode ser um recomeço. Não para mim. Estou cansada de tentar. Estou cansada de tudo. Às vezes quero sumir. Mas eu penso em Tuê, meu filho amado, penso tanto em ti, Tuê. Você me salva todos os dias de não cometer uma loucura, de não fazer merda. Não sei se estar aqui é algo bom, realmente não sei, mas estarei aqui sempre que puder para e por você, Tuê. Te amo mais do que a minha vida, te amo mais do que a mim mesma. Eis o fim. Já disse isso. Mas é que nenhum fim é engraçado ou legal. E a gente não entende o porquê. Podemos criar estórias, podemos aprender com as histórias. Mas é o fim, e é isso que importa. Odeio pessoas. Odeio gostar de pessoas. Odeio amar pessoas. Só não odeio amar meu filho e meus pais. Mas não é sobre esse amor que aqui falo. Eu antes achava que ia ficar sozinha para sempre. Cheguei a perder as esperanças de encontrar alguém. Então surge ele, para me fazer feliz, para me fazer acreditar no amor! Ah, que ilusão! Acreditar no amor!! Eu me odeio por acreditar nele. E odeio mais ainda quem me ilude fazendo nele acreditar. O amor não existe. Não para mim. Nunca existiu. Nunca ninguém que eu amei quis estar comigo. Na primeira vez que meu coração tremeu por alguém já havia o presságio que nada daria certo. E eu insisti. E há anos insisto nisso, que eu achava que era amor. Ficar para sempre só é uma decisão difícil. Ninguém precisa de ninguém para ser feliz. Não quero mais amar, não quero mais gostar de alguém, não quero nunca mais nada que seja parecido com isso. Quero viver só. Tentar ser feliz só faz com que minhas tristezas, depressões e angústias não dependam de ninguém mais. E quando eu me encerrar numa tristeza causada por mim mesma talvez possa assim me regenerar. A ficha demora a cair. Talvez amanhã eu ainda chore muito. E depois e depois de amanhã. Vou chorar por me sentir uma pessoa incapaz de estar com alguém, vou chorar por me sentir essa merda constante que eu sou, vou chorar até minhas lágrimas secarem e eu não chore por mais ninguém. Porque se nessa merda eu nasci para ser só, só serei.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Estou tentando ser forte, não pensar na sua doença, achar que você é semente, vai reviver, virar árvore, e quem sabe virar vária semente e árvores. Não sou tão fria quanto pensam, só um tanto quanto realista, fincada à terra. Às vezes choro abundantemente, mas o faCo em meu quarto. Se, na rua, as lágrimas me surgem procuro escondê-las. Pai, te amo.
Mantra: Eu não vou mais fazer isso, eu não vou mais fazer isso. Prefiro a ignorância. Dizem ser esse o preço da felicidade.
Ódio não reduz tamanho desassossego. Nem muito menos o pensamento de um desastre. A visão de insetos corroendo a tez, o mal. Nada adianta. Nada é real. De real só há o mal já feito. Quebra o corpo todo, mastiga por dentro. Não, não foi um tropeço. A queda foi maior, vertiginosa. Quero vomitar o que me corrói.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Se desapaixonar por alguém é algo complicado. Dói no estômago, tal qual a paixão dói. Ou será que foi o sanduíche estragado que comi? Mas é quando você vai olhando para a pessoa que gosta e percebe coisas erradas, coisas que te magoam, mentiras, competições, privações. Daí você se pega, involuntariamente, vendo o instagram daquela menina bonita, pensando naquele rapaz interessante, querendo saber o nome daquele moço que chegou na mesa do bar. E quando essas coisas começam a acontecer há algo errado. Enquanto que na paixão você quer engolir todas as borboletas que te rodeiam, na despaixão você quer vomitá-las.

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Não, eu não quero ser assim, neurótica. Mas foi logo a cabeça, sabe. É como se eu tivesse prevendo algo. Fico achando que ele tá marcando com outra garota. Sei que isso são conversas passadas, apesar de serem quando já estávamos juntos. Algumas durante uma briga, outras quando eu achava que tava tudo muito bem. E é isso que me deixa mal, neurótica, pois acabei perdendo a confiança, sabe, se ele fez isso antes, por quê não faria agora também? E sei lá, tem dias que as saídas dele me incomodam menos. Mas hoje, especificamente, tá doendo, tá doendo na nuca, na cabeça, e tá me deixando enjoada. Talvez por ele ter dito que não ia sair e de repente vai; de ter me perguntado se eu ia, mesmo sabendo que eu não ia; fico já imaginando que ele marcou com alguém e só estava se certificando que eu realmente não iria. Pode parecer loucura? De um certo ponto é. Não queria ser assim. Queria dar menos importância à monogamia. Queria ser mais liberal. Mas dói se sentir enganada sabe. E eu tenho muito esse medo.

sábado, 14 de janeiro de 2017

Tenho que sempre me lembrar que não posso me doer com o passado dos outros. Ficar me torturando pensando em quem eram, quais, como, quando e onde mão me levará a local algum. Mas não consigo parar de me perguntar quem eram.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Que bobagem a minha sentir ciúme! Ciúme de ex namorada! Fico impregnada de pensar no que eles faziam. Me pergunto quem mais participava das orgias. Mas, sabe, é melhor não saber! Afinal se contas tenho também meu passado. E ninguém goata de ter o passado sendo assim revirado. É só ciúme mesmo, besta e sem propósito.

domingo, 8 de janeiro de 2017

Homens podem omitir, mentir, trair. Mas a problemática é sempre a mulher.
A mina viaja, o cara trai ela com outra. Ponto.
A mina dorme, o cara aproveita a madrugada para pedir beijos e nudes na internet. Ponto.
O cara sai sempre, mas quando a mina sai tudo vira motivo de briga. Ponto.
O cara trai a mina, quando ela se cansa e fica com outro ela é quem não presta. Ponto.
O cara aparece na casa da mina, imediatamente após o término, com outra mina, daí ela vai e sai com outro cara e ela que é a escrota. Ponto.
Relações machistas.
Pro homem o bônus.
Para a mulher a loucura.

sábado, 7 de janeiro de 2017

Confesso que deu trabalho recuperar essa conta de blog. não sei por quê, mas achei que ele tinha sido extinto. Tanto trabalho que acabei por sair do que pensava em escrever. Tudo bem. Fumei um, relaxa, quem sabe lembra. Bota uma  música que inspire, essa tá ruim. Escrever é exercício, escrever é viver; e eu, ando tão parada. Talvez tivesse achado que não tinha mais o que falar. Como se tudo se repetisse e ficasse rotineiro. Mas não há nada mais profundo que a capacidade da nossa mente.
Acho que penso demais e coloco de menos no papel (ou na tela). Eu deveria fazer aquele exercício de sair escrevendo, sabe, sem nem pensar. Mas, sou difícil em falar tudo o que penso Meu superego é um saco, ás vezes. Só tá sendo tudo tão nostálgico. Eu, a melancolia ...  e me distraio escolhendo música. Mais uma vez as distrações. Não mente, por favor. Se mentiu qual o motivo? É tão estranho perceber que parece que o tempo parou, não passa. e passa. não sei, como se eu de repente me sentisse diferente em relação ao meu redor. Têm acontecido isso, e eu não sei se é bom ou ruim. Ouvindo músicas que já ouvia há mais de uma década! Caralho, acho que aquela maconha não fez bem. Ou super curou, sei lá, foi de uma ponta achada debaixo do colchão. Tá tudo rasgando aqui dentro. Eu tou rasgando em mim. 
 
Se acaso me quiseres.... Design by Exotic Mommie. Illustraion By DaPino