quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Eu gosto dele
E para mim era tanta felicidade, senti-lo do meu lado, e é tanta felicidade lembrar dele
Olhos, lágrimas, olhos, marejos,
São tantos problemas na vida, tantos cansaços,
Mas penso nele e me vem um sorriso singelo nos olhos, nos lábios,
Parece algo que acalma, que envolve

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Andei uns dias meio doente.
Senti-me pressionada em muitos aspectos na minha vida.
E nem todos consegui uma solução.
Não parei na pista, como diz a música, só não consegui chegar ao final dela.

Algumas conversas francas me deixaram mais em paz, se é que isso pode ocorrer.

Meu pai ao telefone me disse, em sua franca experiência de vida, que as pessoas lutam pela felicidade, mas não conseguem perceber que não vivemos para ser felizes, vivemos para contornar as infelicidades com momentos de deleite.
Tá, tudo bem, ele não usou essas palavras, mas foi isso que ele me disse.
Tudo aquilo de que o sistema oprime, nos faz infelizes.
Como é difícil e doloroso ser feliz.

Aprender sempre com quem admiramos.

Hoje ainda estou confusa com algumas coisas, tristes com outras...
Mas um pouco menos anciosa.
Obrigada, meu pai Dalton.
Obrigada, minha mestra Mônica Marçal.

Tou com o Poéticas.
Mesmo que seja muito triste ter que ser infeliz para poder ser feliz.

Yin e Yang

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Tem dias que tudo irrita.
Parece uma bola de neve, começa aos poucos, depois tudo está te fazendo ter vontade de gritar.
Eu sou assim.
Tava tudo indo muito bem, mas aí é choro sem motivo, irritação uma hora e meia no ouvido, gemendo, forçando um choro que não existe. Irrita muito.
E toda a paz e toda a calma vão embora.
Adianta fumar?
Não.
Dá é mais dor de cabeça.
Daí começo a comer,comer comer.
Maldita fase oral que não deve ter sido muito satisfatória.
Aí começo a me sentir mal de tudo. Mal de ficar irritada. Mal de ter comido tanto.
Tou me sentindo gorda.
E me sentir assim me dá cada vez mais fome.
Tem algo errado acontecendo.

sábado, 18 de setembro de 2010

Às vezes tenho medo do que sinto. Como ter certeza se é quase tão certo perceber que as coisas vão em direções acabar indo em mãos diferentes.
É um trem que caminha nos seus trilhos, mas toma outra direção que não seja o meu querer destono...

Porque a gente cria ilusoes, diz prever coisas, sente, deseja...
E nada seríamos se não fossem esses devaneios!
E vão, ventos brisas, furacões... e vêm... e novamente se vão...

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Sonho às vezes são banais, talvez para quem assim não os vivenciou...

Sonhei que ele me trazia uma mamadeira para o Tuê.

Era linda a mamadeira, sabe? Era lindo o gesto!
Estranho, sim, estranho... o Tuê quase não usa mais mamadeira... e quem em sã consciência traria uma mamadeira dizendo que lembrou do pequeno?

Você me disse que foi à farmácia com amigos, viu a mamadeira e lembrou do Tuê.
E eu te dei um beijo singelo.


Não sei nem porque conto isso!
Sonho mais sem graça!
Sonho sem nenhuma graça!
Mas foi bom para mim...
Sabe... é quando a gente acorda com aquela sensação de possível felicidade...

sábado, 11 de setembro de 2010

Sonhei que eram 4:20, logo depois adormeci... sonhei com o beijo da linda morena, recém chegada do Cariri...

Não era morena, linda pena, que trazia nos seus braços tanto frescor... Era índia, era negra, era verde, meu sinhô...

Dei-lhe um beijo demorado, e nela me deixei ficar... entorpeci em braço amado ouvindo a água borbulhar...

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

A mercê de tantos sonhos inacabados
Estamos nós dois ali
Nus, sentados
Vendo na fumaça que sobe, quem sabe um novo projeto de futuro
Quem sabe um passado, arraigado, doido, sentido
Quem sabe uma música, uma pena
Quem sabe até um poema
No entanto, estamos somente ali
Nus, sentados
Vendo a fumaça subir
 
Se acaso me quiseres.... Design by Exotic Mommie. Illustraion By DaPino