domingo, 28 de março de 2010

Simples, singelo...entregues.

Acho que é a primeira postagem minha aqui que eu coloco título, mas essa em especial mereceu.

É para dizer que tudo na vida é simples e singelo quando as pessoas estão entregues.
Mas até que ponto você joga fora aquele papel de carta colorido e meigo para se entregar?
Ou para ser simples, singelo?
Ah, os papéis de carta da minha infância...
Eu tinha uma imensa coleção! Minha é modo de dizer, pois quem administrava era minha mãe. Ela dizia que todos me enganavam para trocar seus papéis feios pelos meus que eram lindos... Mas será que ela não percebia que o querido era justamente a troca?
Mas...
Estava eu falando de relacionamentos...
E de papéis de carta!
E esse papel de carta era assim: lindo, rosinha bebê, com uma menininha de chapeuzinho de fazendeira, em pé, num campo, com uma cesta de flores na mão e contemplando o nada. E tinha um dizer...
As meninas crescem e continuam colecionando seus papéis de carta. Às vezes eles vêm em forma de poesia, em uma rosa presenteada pela noite...
Todos lá guardadinhos entre outros sonhos!
E mesmo eles, guardados, esquecidos ou não... mesmo eles não queremos que se rasguem!
Uma fuga?
Quem nunca fugiu?
Às vezes não somos percebidos como deveríamos ter sido.
Mas quem sabe não fomos tão claros!
É um problema em casa, uma mãe, um irmão; é um trabalho que não anda, um chefe que estressa, um colega que irrita... Aí se formos ver é um vizinho que gritou, um carro que parou, uma pedra no caminho...
Mas se for uma mentira...
Sinto-me rasgando aquele papel de carta bonito, embebido num perfume...
Desilusão, desilusão, danço eu dança você...


Para uma amiga...

quarta-feira, 24 de março de 2010

Sou voz
Sou canto
Sou um tanto
Quanto
E no entanto
Só sei ser brisa
Voz e alma
Se cala
Acalma
Se implica
Grita
E chora
Até depois da hora
Revendo
Vivendo
O choro de um
Trovão
Arranha o céu
Devolve
Mel
Num sopro
Ao léu
Num som
Semitom
Que aspira
Suga, ramifica
No meu peito
Ilusão num mar
Inteiro
Estreito
Remador, pescador
Volte
Coma
Beba
Volte
Some
Beija
Volte
E só...

quarta-feira, 17 de março de 2010

Tou enjoada, com vontade de vomitar.

Calma.
É só enjoo mesmo, e disso tenho certeza.

Acho que comi demais.
Alguém tem um digestivo??

segunda-feira, 15 de março de 2010

Estava tendo um sonho maravilhoso e não queria ter acordado...

Eu estava num outro país, não sei qual, tinha uma praia, a areia era branquinha, mas firme, e formava um paredão que tínhamos praticamente de escalar para sair da praia.
Tinham dois rapazes, dois amigos, que também estavam lá. Um deles e eu começamos a nos tornar amigos. E foi surgindo um interesse, mas como em todo sonho esse interesse não se concretizava, e ficávamos conversando, e a vontade aumentando, e um certo desespero de saber que a estadia no lugar iria acabar e não iríamos nos ver mais...
Quando finalmente nos beijamos, dentro do quarto do hotel...
A PORRA DO MEU TELEFONE TOCA COM UMA ATENDENTE DE TELEMARKETING QUERENDO FALAR COMIGO!!!!!

Sacanagem.

domingo, 14 de março de 2010

Me cadencio num samba
No chorinho de uma canção
Lembrando de amores que um dia virão...
E penso saber de mim
E penso cantar pra ti
E num refrão marejo saudades que ainda não senti....
Festinha... Sambinha...
Vários boyzinhos, uns até muito bonitinhos...
Mas acho que no fundo eu gosto é de estar com alguém, sabe?
Achei muito mais encantador ficar conversando com um novo quem sabe amigo no final da festa, que não era nem o mais bonito de lá, mas que se tornou o masi interessante! Melhor conversar com ele do que só dar uns beijinhos num babaca que nunca mais verei.
Ou se eu ver de novo, virarei a cara e ele idem, como aconteceu hoje. Um boyzinho que eu havia ficado numa festa, a tal festa da cervejada na garotavadiazinha, nos vimos, nos reconhecemos e nos ignoramos...
Ou então achar um para fazer um sexo e nunca mais nem nos falarmos...
É cansativo isso.
Parece até contraditório, ao mesmo tempo que eu quero liberdade para paquerar (sem necessariamente ficar) eu quero estar com alguém.
Me interessei pelo boy da geologia que fiquei conversando no final. Ele me reconheceu por eu ser amiga de uma amiga dele, mas nunca nem trocamos idéia antes. Legal isso de ser reconhecida assim, naturalmente sabe, ele não forçou uma situação, ele não foi agressivo. Foi legal, foi bonitinho... Gostei disso!
Do mesmo jeito que ando ultimamente lembrando do meu ex...
Rolou um clima tão legal entre a gente fim de semana passado, mas não ficamos. Dormimos juntos, eu, ele e meu filho, naquele mesmo clima de quando namorávamos, mas não ficamos. Parecíamos um olho, a posição que estávamos, e o meu pequeno era a pupíla. Foi bonito, foi bom, foi muito bom.
Mas e o medo de ser ilusão?
Já terminamos outra vez e já voltamos. Terminamos de novo. Será que é isso? Será que é isso para ele também?
Acho que preciso dormir. Tou com sono.

terça-feira, 9 de março de 2010

Estava lendo o Manual do Cafageste...
Já fui lanchinho apaixonada...
Já fui lanchinho sem paixão...

Mas acho que tenho instintos bem cafas às vezes!!

Hoje mesmo na capoeira um bonitinho treinou comigo na dupla. É um bonitinho que eu tenho o maior tesão, que eu daria fácil fácil... A gente sempre se bate em um barzinho das redondezas.
Na hora do treino ele ficou na bananeira, a blusa dele desceu, e eu fiquei só olhando para o abdomem dele, tanquinho! Não sei se ele percebeu, deve ter percebido, não costumo ser a pessoa mais discreta do mundo não. Pelo menos não para olhares.
Daí, para variar só um pouc,o nos encontramos no velho barzinho depois do treino. Ele veio falar comigo e quando eu virei para cumprimentá-lo com um beijo quase que nosso lábios se tocaram. Eu encarei de boa, afinal isso é normal até quando não é com pessoas interessantes! Daí ele se sai com essa: "Qual é capoeira? Tem que aprender a se esquivar!!" E dá risada! Fiquei meio sem graça pois levei um tempinho para entender exatamente a brincadeira! Sabe como é... maconha e bebida juntas deixam os reflexos um pouco lentos...

Ah garoto!!
Dependendo da investida eu nem me esquivo, te derrubo na rasteira e me jogo por cima!!!

segunda-feira, 8 de março de 2010

Numa noite estranha
Entre vinhos, violão e becks
Eis que surge uma figura
Um tanto quanto fantástica
Pra discutir Raul Seixas
Foram então mil degraus
E uma bebida feita de álcool de cozinha
Que juro não tomei
Vieram encontros e desencontros
Vieram escritas e leituras
Teatros e fantasias

Parabéns, querido amigo Jim!!
http://espiritobeat.blogspot.com/

sexta-feira, 5 de março de 2010

Queria alguém agora do meu lado me fazendo gozar muito...

Fiquei no trabalho solo!!!!

quinta-feira, 4 de março de 2010

Hoje sou uma pessoa cuja madrugada me inundou
A mesma madrugada morada dos insones
Passei perdido em uma interação virtual
Uma interação comigo mesma
Medo, dúvidas, vontades...
Algo está acontecendo
E canto feliz como Elis
Que o novo sempre vem

segunda-feira, 1 de março de 2010

Uma vontade já antes existida
Uma coragem não antes encontrada
Uma oportunidade que se passada fosse não saberia nunca o quão prazeiroza foi
Existia o medo e a insegurança
Existia desejo e vontade
Existia eu
Existiam eles...
Um que sorria e chegava
Outro cujo etéreo me encantava
Eu olhava, percebia, admirava
E em meio a tantas avas nos esbarramos
Um esbarrar inseguro
Um caminho indeciso
Uma noite com três sóis
Três estrelas formando uma constelação
Penso eprceber um receio
Temo por perceber esse receio
Olhos fugicios que enebriam
A beleza contemplada sob um olhar por vezes discreto
Felicidade ao ver o receio encostado no ponto esperando o último ônibus
Como desejei seus olhares quando fui banhar-me
E o não saber o que fazer que insistia em me inundar
Quando meu corpo e minha mente ardiam de desejo em sentir nossas peles juntas...
Vamos fumar um beck?
Dois olhares diferentes, dois sorrisos diferentes, duas bocas, dois corpos...
E eu queria demais...
E eu quis mergulhar
Quis me jogar do alto da cachoeira e sentir a velocidade em meu rosto
A adrenalina em meu peito!
E foi o impulso de um beijo
E foram os braços, os laços, os corpos...
E agora eram três estrelas em explosões de vias lácteas!
E a ansiedade então se esbarrou na naturalidade
Deram as mãos e foram juntas bailar...
Sorrisos, encantos, prazeres!
Meu sexo ardia, minhas mãos buscavam, meu corpo pulsava...
Minha mente me enganava
Horas eu não sabia nem ao certo onde estava...
Um sexo já conhecido, mesmo que parcialmente
Que num reencontro se aperfeiçoa
Um sexo ainda tímido
Um sorriso largo
Olhos pequenos e tão desejados...
E tão bom o reencontro
Tãobom o novo encontro
Tão bom o desconhecido!
Então não havia em mim dores nem pudores...
Eu queria sentir eles como agora de novo quero
Lembranças que me fazem novamente enevoar!
E vão ser bocas inesquecíveis
Olhos, cabelos, peitos, sexos...
E vão ser eternos desejos de mãos dadas numa calorosa manhã...
Eternas mãos deslizando em seus cabelos...
Eternos cheiros e abraços...
Um olhar desperto e inquieto
E um outro que teimava em sonhar...
Desejei continuar ali deitada...
E ali estarei eternamente em meus pensamentos...
Perdi um beck à noite em quanto dormia...
Qualquer notícia por favor me avisem!!
20 dias sem internet...
Sufoco.
 
Se acaso me quiseres.... Design by Exotic Mommie. Illustraion By DaPino