quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Vejo uns boyzinhos até bonitinhos me paquerando...
E eu sem muita vontade.
Será que estou ficando doente?
Mas sei lá...
Negando tudo o que eu disse a alguns posts atrás, hoje não estou com vontade de um sexo sem compromisso.
Ah, se ainda fosse uma verdadeira amizade colorida ainda vai... Mas só sexo por sexo...
Como diria uma amiga minha: se quer vir até minha casa me comer de graça, pelo menos paga a janta.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Acho que estou parando no tempo...
Ando chata e exigente
Cansada da mesquinharia que engole o mundo.
E cansada de ficar calada.
É... eu devo realmente estar parando no tempo...
Mas realmente espero um homem que seja homem de verdade
E olha que não estou falando em sentidos homofóbicos
Só tou cansada de menino.
Homem tem que se valer ser o que é!
Quase me arrastando nesse longo tempo
Tempo longo de esperas
Achando, inutilmente, do lado de minha soberba
Que as pessoas serão menos otárias.
Sim, eu continuo não gostando de muita gente...
Só sou na minha.
Mas não aceito babaquice pro meu lado.
É tanto pavão na pista que quase não conseguimos ver aquela borboleta cantora...
Acho que tou parando no tempo porque o tempo para mim é outro!

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Era um bolo de carnaval...
E bolo esse de verdade!
Com recheio de brigadeiro!
E de beleza marrom esverdeada...

;)

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Texto para a cadeira de Produção de Texto Dramático. Inspirado no curta O Cão Andaluz.


O SER, MULHER
Por Iole Godinho


Personagens:
PAPA
MULHER
MULHER 2
MULHER 3
MULHER 4
MULHER 5
MULHER 6
6 MULHERES-VAGINA
7 HOMENS

Mulheres vestidas de preto com máscaras enormes no formato de vaginas. Elas gritam e gemem. Uma pessoa vestida de papa entra.

PAPA:
“Toda a desgraça do homem, Abençoai-vos oh deus, esse ser, que tanto sofrimento causa e causou ser esse de olhar maligno, que nas atitudes de Eva já se fez presente. Ser que na primeira olhada se deixa seduzir pelo demônio. Que tem no sorriso, olhos marejados, olhos falsos, ambíguos. Um ser que nasceu de uma costela, já arranca desde a sua criação uma parte do feliz homem. Homem esse senhor, que abdica até de suas partes para dar nome à criação mais infernal que já existiu: a mulher. Peço senhor, encarecidamente, razão, paz e serenidade, para suportar essa tentação. Abençoai-vos senhor, para que esses seres malignos se redimam e se resignem na palavra da santa igreja, nos templos sacros. Que não aprendem nunca o poder da oratória, para que não possa enganar os verdadeiros seres de deus, os homens. Que aprendam o ofício que lhes é garantido, o de servir. Se tens que ser abençoada, para consigo levar um filho de deus na barriga, que tenham que ser muito bem guardada para que nesse ventre não carreguem também o filho da desgraça. Abençoai-vos, meu deus. Perdoem essas mulheres da sua vã existência.”

Uma mulher entra, aponta para o papa e grita:

MULHER:
Foi ele, foi ele!

Todas as vaginas se ajoelham e começam a rezar. O papa se aproxima da jovem que gritou e corta a sua garganta. Ela cai morta. Ele oferece-a ao sacrifício e sai. Homens entram. Eles vestem macacões pretos e máscaras pretas. Os macacões são abertos nas partes íntimas, deixando o pênis à mostra. Eles cantam, em outra rotação, cantigas de roda. Se aproximam da mulher morta e começam, a lambê-la, farejá-la como se fossem cães. As mulheres-vaginas se enroscam, como se as máscaras fizessem sexo. Quanto mais os homens lambem a mulher morta, mais as vaginas se entrosam entre elas.
Toca a marcha nupcial de Mendelssohn. Todos se colocam em posição de sentido (menos a mulher morta). Alguns casais se formam entre os homens e as mulheres-vaginas. Alguns saem felizes pela platéia; outros saem aborrecidos, ou o homem, ou a mulher, ou ambos. Uma das vaginas (a última) se bate como se não quisesse se casar, mas dois homens a levam à força. A mulher morta se levanta, e como zumbi, diz:

MULHER:
            TÍTULO I
DISPOSIÇÕES PRELIMINARES
Art. 1o  Esta Lei cria mecanismos para coibir e prevenir a violência doméstica e familiar contra a mulher, nos termos do § 8o do art. 226 da Constituição Federal, da Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Violência contra a Mulher, da Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência contra a Mulher e de outros tratados internacionais ratificados pela República Federativa do Brasil; dispõe sobre a criação dos Juizados de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher; e estabelece medidas de assistência e proteção às mulheres em situação de violência doméstica e familiar.

Outras cinco mulheres surgem da platéia. Uma se levanta por vez e diz:

MULHER 2:
Art. 2o  Toda mulher, independentemente de classe, raça, etnia, orientação sexual, renda, cultura, nível educacional, idade e religião, goza dos direitos fundamentais inerentes à pessoa humana, sendo-lhe asseguradas as oportunidades e facilidades para viver sem violência, preservar sua saúde física e mental e seu aperfeiçoamento moral, intelectual e social.

MULHER 3:
Art. 3o  Serão asseguradas às mulheres as condições para o exercício efetivo dos direitos à vida, à segurança, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, à moradia, ao acesso à justiça, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária.

MULHER 4:
§ 1o  O poder público desenvolverá políticas que visem garantir os direitos humanos das mulheres no âmbito das relações domésticas e familiares no sentido de resguardá-las de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão.

MULHER 5:
§ 2o  Cabe à família, à sociedade e ao poder público criar as condições necessárias para o efetivo exercício dos direitos enunciados no caput.

MULHER 6:
Art. 4o  Na interpretação desta Lei, serão considerados os fins sociais a que ela se destina e, especialmente, as condições peculiares das mulheres em situação de violência doméstica e familiar.

As mulheres vão ao palco, pegam a mulher morta pelas mãos e saem com ela do teatro.


quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Tem que ter face, gatinho...
Novíssima forma de paquera!

E eu que sou do tempo do Mirc...
Eita idade avançando...
Sabe quando você deseja tanto, tanto, tanto que certa pessoa esteja online?
Ai ai...

Pior eu...
Eternamente platônica...

Viva meus platonicismos!!

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Fica online, liga, manda sinal de fumaça, email, telegrama, código morse, sms, pombo-correio!!

sábado, 11 de fevereiro de 2012

Como não se sentir velha quando você paquera com um gatinho e descobre que ele é quase 10 anos mais novo que você??
Como???

Uma dose de formol, por favor...

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

O novo sempre vem...

;)

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Bicicletas e caminhos...

Vim, cantando, feliz, rindo, na minha bicicleta...




Não se assuste pessoa se eu lhe disser que a vida é boa!!


E vim pedalando e rindo!!!
É tão bom andar de bicicleta por uma rua vazia, assim, sem sol, fresco, só você, rindo e cantando...
E quando porventura passava por alguém, ficava a me perguntar
Será que essa pessoa me acha uma louca? Será que não entende meus risos?

Uma perdida, risos!

Vodka, energético...

Goles

Mais outra

-- Largaram uma vodka!!

-- Largaram uma vodka...

Eita!!

- Opaa!!

Mais uma dose é claro que eu tou afim!!

Com coco?? Boooommm!!!

...

Um verdim num moranguinho?

Vou feliz pelo caminho!!

Bicicleta, vento,  vento, vento,. risos!

!!!!!

E é isso!!
 
Se acaso me quiseres.... Design by Exotic Mommie. Illustraion By DaPino