terça-feira, 27 de abril de 2010

Não é sobre o post abaixo... mas continua sendo sobre meu coração despedaçado.

Você ainda mexe comigo, mesmo por telefone...
Ciúmes de todo o seu universo que não faço mais parte.
Eu fui a primeira a dizer que não queria nada sério.
Só amizade. Colorida, mas amizade.
Sabia do seu novo amor, te dei liberdade para falar sobre ela.
Mas foi estranho te ver com ela.
Você estava bem, sorridente, feliz... E você merece isso, amigo!
Eu fui a primeira a abandonar o barco.
Às vezes me sinto fraca por não ser persistente nessas questões. Mas é que eu acho tão estranho isso, não sinto como lutar por um quem-sabe-amor, mas sim como se eu fosse uma chata. E quando eu analiso isso de fora vejo o quão estou errada. Mas eu não consigo.
Não sei ligar, não sei pedir, não sei insistir.
Quero tudo e não quero nada.
E quando não quero nada choro pelo tudo.

domingo, 25 de abril de 2010

Tu és figurinha complexa
Perplexa
Tão conexa
Beiro razão quando tu sonhas emoção
E como não me envolver por tal beleza rosa?
Ritmos orvalhando respiração
Dou-te todo o meu sossego em troca de um afago

sábado, 24 de abril de 2010

Sabe o que minha terapeuta dizia? Que a vontade de bater em mim mesma é como se eu precisasse da dor física para sentir realmente a dor.
Tou sentindo muita dor e ela não é física.
E eu quero muito me bater.
Mais do que eu já me bati.
Quando a vida da gente vira sucessivos desastres está na hora de parar e pensar: o que fazemos das nossas vidas?
Eu adoro o gosto da farofa do churrasquinho da esquina.
Eu não me adoro.
Não hoje.
Isso é normal?
O que é o desejo da morte senão o desejo de um novo nascimento?
Poderia eu estar de mal humor.
Mas não. Estou de mal humores.
Estou te TPM.
Estou me sentindo um lixo.
Queria acordar e não ter tudo isso.
Queria acordar e não ser mais isso.
Só não queria nunca mais acordar porque o propósito na minha vida é o Tuê.
Eu quero gritar.
Não tem onde eu extrapolar toda a minha raiva de mim mesma, a não ser escrevendo.
Poderia escrever e nunca mais ler. Como Raul.
Mas não, eu idiotamente me exponha. Como sempre eu me exponho.
Sou ridícula.
Tem horas que tudo o que eu mais quero é nunca ter existido.
Sabe quando você se sente mal com tudo o que aconteceu?
Se sente culpada...
Se sente uma merda!
Se sente uma merda como pessoa!
Dinheiro? Supérfluo.
Identidade? Um puta trabalho.
E a sensão de ser otário?
...
Não é você, minha amiga, aliás você seria uma das últimas. Não. Não seria. Minha raiva é universal. Mas não é de você, É de tudo. É uma TPM. É um ,mal humor. É o dinheiro perdido. É a identidade.
Você eu amo muito.
É amizade é amor,
Mas. me desculpe.
É tudo.

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Beleza, a doce magia que prende os olhos ao mundo, deslumbra, mata e salva, contraditor e atraente, uma felicidade que nos atrai para o pecado de forma que somos apenas a um espírito em posse de um corpo e não um corpo com um espírito em segundo planos, somos planos e belos, como a força da alma reinando entre o mar de rosas que é o amor.
Até vir a decepção e nós nos afogarmos.


Por Enzo
Quando eu lhe disse que Fortaleza era uma putaria você me olhou incrédulo...
Hoje é você quem em diz:
"Fortaleza é uma putaria!"

segunda-feira, 19 de abril de 2010

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Ouvi dizer que andas sentindo um arrepio diferente ao me imaginar com ela...
Doce deleite masculino, ver duas delicadas fêmeas em ato sublime!
E quando essas duas fêmeas de tão delicadas tornam-se duas feras...
Ah!
Prazer explodindo por todos os poros de nossas peles!
Consegues sentir isso?
Consegues sentir a delicadeza com que a pele dela roça na minha?
Nossas mãos se entrelaçando por entre dedos...
Nossos cabelos se embaraçando por entre olhos...
Nossos seios...

Percebes?
Imaginário masculino servindo de brinquedinho!
Vocês às vezes tornam-se tolos de se manipular...

E eu gosto disso...

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Sabe o que é bom quando as poeiras começam a baixar?
Rir da situação...

E nós dois rimos e ainda riremos juntos sobre isso tudo!!

;)

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Não era nem de longe amor, mas a música vem a calhar.
 
Me deixa em paz
 
Composição: Raul Seixas
 
Oh, me deixa em paz
Não quero mais saber
De amar
Nem quero mais
Lembrar do que passei
Da outra vez
Meu bem
Sofri
Por que você mentiu assim
Agora veja só
Você sorriu pra mim
Eu vi no seu olhar
Oh, me deixa em paz
Não quero mais saber
De amar
Pois já estou cansado
De você me enganar
Meu bem
Até prefiro ficar só
Do que pensar mais uma vez
Lembrar o que me fez
Não quero mais amar
Se eu senti algum interesse?
Sim, senti, fato.
Senão não teria nem ficado.
Só tou me sentindo usada.
Mas não no sentido usada do sexo casual, até porque eu também tenho amigos bem interessantes, digamos assim.
Mas usada eu não sei nem como.
Usada por estar no meio de um casal, de tanta mentira.
Um diz uma coisa, o outro outra coisa.
Intrigas.
Fui ingênua o suficiente para ter me deixado levar e não ter percebido isso.
No momento estou com nojo de todos.

Um dia isso passa.
Que palhaçada.
Ceninha de novela mexicana de quinta categoria.
Queria ter sido mais madura para tirar os problemas de letra e não ficar chorando, boba que sou.
Mas nada que uma dormida não faça.
Dormi mal. Acordei o tempo inteiro. Mal humor. Sem vontade de fazer nada.
Em briga de marido e mulher dizem que não se mete a colher. E em briga de marido e marido que diabos eu fui fazer lá???
Eu quero é mais que quem é se assuma como tal, perca o medo. Namorem, se casem, se mudem, se fodam sozinhos ou não. Mas não me metam mais no meio dessa palhaçada.
Não tou aqui para virar judas de ninguém.
Eu e minha maldita sinceridade.
Sincericídio.
Para quê diabos fui dizer que senti dúvida???
Mas foi bom para ver que eu tava sendo feita de otária e não tava nem percebendo.
Se o casalsinho tá em crise que se resolvam sozinhos.
Mas eu ter sido inserida no meio???
Eu não merecia escutar o que escutei ontem.
Olha na minha cara e diz que eu tou fazendo teatro, que eu tou sendo falsa, que eu sou a causa da briga deles, perguntando se eu tou feliz, destilando todo o veneno que pode existir, e quando alguém percebe se faz de o super cínico e me coloca de louca. 
Fodam-se. Se amem. E se matem depois.
Não sei mais o que é verdade e o que é mentira nessa história toda.
Cena de ciúmes de novela mexicana.
Tenho muito mais o que fazer da minha vida do que ficar brigando por causa de alguém.
Minha noite ontem poderia ter tido outros finais.

Se eu tou bem?
Tou porque comecei a compreender a situação.
Só por isso.
Compreender é sempre melhor do que chorar.
Mesmo que o choro faça parte da compreensão.

Só quero distância.
Só isso.
E eu estar inserida de repente em um contexto que não não sei o que estou fazendo nele?
E os meus sentimentos?
E as acusações?
As verdades elas são relativaso que é para mim com certeza nãp é o que é para você.
De repente eu sou envolvida.
De repente eu sou acusada do que eu não fiz. Pelo menos eu não sinto que fiz.
Porque você ser sincero hoje em dia é a maior mentira que se pode contar.
Que sociedade é essa? Que mundo é esse? Porque as mentiras são evrdades e as verdade não sei nem o que são?
Tou em sentindo usada.
Ou não.
Horas sei, horas não sei.
Tou com medo de achar coisas porque eu não tenho como saber essas coisas.
Hoje não foi um bom final. Hoje era algo estranho que se tornou algo bizarro.
O que aconteceu com hoje???
Putaqueopariu o que aconteceu com hoje????
...
Caralho, o que aconteceu???

domingo, 11 de abril de 2010

Pouco me interessa a beleza estética?
Minto assim se o disser.
Toda Athena tem sua Afrodite...
E o meu Baco tem um quê de Apolo...
Ode em vivas cantarei se daqueles belos olhos sairem mais do que poemas vazios!
Ode em vivas cantarei se aqueles versos criarem enfim um sorriso desejado!

A beleza estética então é de Kant, Aristóteles ou Platão?
Busco nas idéias o tão sonhado real sem saber nem ao certo se aquilo tudo é incerto, se é só ilusão.
Ou a ilusão é a realidade que teima em bater à porta?

Toc toc toc

terça-feira, 6 de abril de 2010

Havia

Havia chegado o dia em que a poesia virou orgia nos bacanais
Havia chegado o tempo em que os sofrimentos eram tristes ais
Havia chegado a fala, o galo, a gala
Havia chegado o sexo, o inverso, o reflexo

E eu não sabia se havia chegado

sábado, 3 de abril de 2010

Como são interessantes os nossos desejos...
De repente não penso em ninguém...
De repente penso em você...
De repente penso nele...
E esses quereres se misturam, como um turbilhão de sentimentos...
E eu lá, naquele mágico olho do tufão!

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Nada me deixa mais chateada do que pessoas falso moralistas.
Pessoas que enchem a cara de ácido, mas reclamam de quem cheira pó eventualmente.
Pessoas todas riscadas, mas que reclamam quando alguém quer colocar uma tatuagem maior.
Pessoas cheias de erros, mas que não pensam duas vezes antes de falar dos erros alheios.

Isso me irrita, e muito.
Hipocrisia.
Falso moralismo.

Não viram para dizer: "Oi amiga, que lindo tal coisa que você fez!"
Mas sim: "Olha, só vou te dar um conselho..."

Olha nos meus olhos???
Ahan, senta lá Cláudia.
 
Se acaso me quiseres.... Design by Exotic Mommie. Illustraion By DaPino